Por Esmael Morais

Black blocs vandalizam Curitiba, são presos e população aplaude polícia

Publicado em 16/06/2014

Com tesão de argola, black blocs mandaram este blogueiro tomar naquele lugar onde não bate Sol; elite branca também já mandara Dilma 'tomar no cu' durante abertura da Copa; Blog do Esmael transmitiu ao vivo, ininterruptamente, três horas de protesto que culminou com quebra-quebra no centro de Curitiba e prisão de 15 mascarados; população, por óbvio, aplaudiu a ação da polícia.

Com tesão de argola, black blocs mandaram este blogueiro tomar naquele lugar onde não bate Sol; elite branca também já mandara Dilma ‘tomar no cu’ durante abertura da Copa; Blog do Esmael transmitiu ao vivo, ininterruptamente, três horas de protesto que culminou com quebra-quebra no centro de Curitiba e prisão de 15 mascarados; população, por óbvio, aplaudiu a ação da polícia.

Cerca de 150 black blocs saíram pelas ruas da capital paranaense nesta terça-feira (16) em protesto contra a realização da Copa. O movimento terminou em quebra-quebra de instituições bancárias, conforme transmissão ao vivo do Blog do Esmael (clique aqui).

A manifestação partiu da Boca Maldita em direção à  Arena da Baixada, onde jogavam Irã x Nigéria, embora essa informação tenha sido sonegada pelos ‘líderes’ do protesto.

Depois de represados nos bloqueios da polícia, no entorno do estádio do Atlético Paranaense, a passeata continuou pelas ruas da cidade e, logo após a passagem pela praça Rui Barbosa, ocorreram as primeiras queimas de lixo nas ruas.

Motoristas impacientes com o bloqueio de vias pelos black blocs saíram de seus carros e enfrentaram os mascarados, que recuaram.

Líderes de movimentos sociais, como moradia popular e do núcleo periférico comandavam a marcha.

Na Avenida Iguaçu com a Rua Westphalen, na região do bairro Rebouças, a polícia faz o cerco aos protestantes os obrigando a fazer o caminho de volta.

Ao passarem pelo Shopping Estação, em frente à  Câmara de Vereadores, ocorreu a primeira depredação. Depois, ao seguir pela Avenida Marechal Floriano, os manifestantes quebraram vidraças de bancos, inclusive um banco público, a Caixa Econômica Federal da Praça Carlos Gomes.

Após o vandalismo, a Polícia de Choque interveio para conter os manifestantes que se dispersaram pela tradicional Rua XV de novembro.

Houve prisão de vários black blocs com os aplausos da população que se encontrava na Boca Maldita naquele momento.