Biondi desiste da reeleição de Richa e abre crise no PSDB do Paraná

Perda de marqueteiro abre crise no PSDB do Paraná; Nelson Biondi desertou da campanha pela reeleição de Beto Richa; publicitário preferiu cuidar, exclusivamente, do projeto continuísta do governador tucano Geraldo Alckmin, de São Paulo; desistência do marqueteiro causa desarranjo operacional na propaganda eleitoral do governador paranaense e estragos de ordem econômica no entorno do ninho; moral da história, segundo Biondi: é melhor um tucano na mão que dois voando.

Perda de marqueteiro abre crise no PSDB do Paraná; Nelson Biondi desertou da campanha pela reeleição de Beto Richa; publicitário preferiu cuidar, exclusivamente, do projeto continuísta do governador tucano Geraldo Alckmin, de São Paulo; desistência do marqueteiro causa desarranjo operacional na propaganda eleitoral do governador paranaense e estragos de ordem econômica no entorno do ninho; moral da história, segundo Biondi: é melhor um tucano na mão que dois voando.

Nelson Biondi não é mais o marqueteiro oficial da campanha pela reeleição do governador do Paraná Beto Richa (PSDB). Nome preferido do tucano na propaganda do rádio e da TV desertou do projeto porque optou pela reeleição do governador Geraldo Alckmin, de São Paulo, que seria “mais segura”.

Biondi colecionou a derrota, em 2012, do ex-prefeito Luciano Ducci (PSB) na corrida pela reeleição à  Prefeitura de Curitiba. O pupilo do governador tucano sequer avançou para o segundo turno naquela peleja.

A desistência do marqueteiro abriu crise no ninho tucano paranaense, pois, além do desarranjo operacional na propaganda eleitoral de Richa, também há estragos de ordem econômica no entorno — se é que o leitor me entende.

Moral da história, segundo o marqueteiro Biondi: é melhor um tucano na mão que dois voando.

Comentários encerrados.