“Questão da regulação da mídia é imperiosa”, diz Lula

do Brasil 247

Em palestra no 4!º Encontro de Blogueiros, em São Paulo, ex-presidente afirmou que, daqui para a frente, "toda vez que puder abrir a boca, a questão da regulação será a primeira [mencionada]"; Lula fez duros ataques à  imprensa - "o que vejo aqui é uma mídia que desanca o País" - e criticou "ataques preconceituosos" contra a presidente Dilma Rousseff, classificando como "falta de respeito" o discurso do deputado Paulinho da Força, no 1!º de Maio, que pediu "Dilma na Papuda"; petista alertou ainda para o "choque de gestão" do PSDB; segundo ele, o lema significa "redução de salário e dispensa de trabalhador".

Em palestra no 4!º Encontro de Blogueiros, em São Paulo, ex-presidente afirmou que, daqui para a frente, “toda vez que puder abrir a boca, a questão da regulação será a primeira [mencionada]”; Lula fez duros ataques à  imprensa – “o que vejo aqui é uma mídia que desanca o País” – e criticou “ataques preconceituosos” contra a presidente Dilma Rousseff, classificando como “falta de respeito” o discurso do deputado Paulinho da Força, no 1!º de Maio, que pediu “Dilma na Papuda”; petista alertou ainda para o “choque de gestão” do PSDB; segundo ele, o lema significa “redução de salário e dispensa de trabalhador”.

“Eu me dou o direito de dar entrevista para quem eu quero, na hora que eu quero”, disse o ex-presidente Lula, na manhã desta sexta-feira 16, em palestra no 4!º Encontro Nacional dos Blogueiros. Ele explicou que ficou “impressionado com a violência com que a imprensa tratou minha entrevista ao blogueiros, lá no Instituto da Cidadania”.

Lula foi fundo em sua crítica à  mídia. Na primeira parte de seu discurso, ele citou legislações recentes feitas na Inglaterra, Argentina e Equador que impuseram normas ao funcionamento da mídia. “Todos as sociedades democráticas do mundo contam com mecanismos de regulação dos meios de comunicação”, disse Lula.

“Nos Estados Unidos, há a proibição da chamada propriedade cruzada. Em outros países, como Espanha, Portugal, França e Itália há leis que tratam dos meios de comunicação. Não venham dizer que isso é censura, ou que estamos querendo controlar os meios de comunicação. Estou citando países capitalistas. Não venham dizer que sou esquerdista, nem citei a Venezuela do saudoso presidente Chávez”.

O ex-presidente prosseguiu: “Tenho viajado pelo mundo todo fazendo esse debate, mas o que vejo aqui é uma mídia que desanca o País”. Lula alertou ainda: “Queria que ficasse claro que ninguém quer censurar ninguém, queremos apenas gritar mais alto ‘Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós”.

Lula criticou a negação à  política: “A negação da política não melhorou nenhum pais do mundo”, apontou. “Eu não acredito em política sem esperança”, acrescentou. Ele disse ver como a televisão se dá o luxo de “esculhambar a política”. Ele disse que não vale a pena chorar porque tal jornal fala mal do PT, e que o que precisamos fazer é usar os blogs que estão do lado do País.

O discurso do deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, que pediu “Dilma na Papuda” durante evento do 1!º de Maio, foi classificado como “falta de respeito” pelo ex-presidente. “Eu nunca vi tanta virulência de ataque preconceituoso contra a Dilma hoje”, disse. Segundo Lula, a oposição “está é com medo da Dilma”.

Ao falar sobre a crise hídrica em São Paulo, ironizou ao dizer que, se a responsabilidade fosse do prefeito Fernando Haddad, os ataques da imprensa seriam muito piores. “Cadê o choque de gestão?”, questionou, em referência ao lema do PSDB. Ele acrescentou em seguida: “O choque de gestão significa: redução de salário e dispensa de trabalhador”.

Sobre a Copa do Mundo, Lula disse que não se preocupa com o volume de dinheiro que entrará no País e voltou a dizer que o Mundial é uma “oportunidade extraordinária” do País de mostrar ao mundo como ele é. “Mostrar a beleza desse povo, esse povo alegre, respeitoso”. Ele disse que não é necessário criar uma lei contra mascarados. “Não precisa de lei, precisa da sociedade atenta, porque um cara que sai mascarado nas ruas não têm boas intenções”. Sobre a possibilidade de se ter manifestações durante a Copa, afirmou: Não vamos ficar com medo de ter passeata, de greve, nascemos com isso. Minha bursite é de tanto carregar faixa”.

Comentários encerrados.