Presidenta Dilma contrata hoje construção de metrô para Curitiba

via Blog do Planalto

Presidenta Dilma, em Curitiba, nesta sexta (9), participa de cerimônia na Federação das Indústrias do Paraná de contratação de construção do metrô; logo mais, à s 16h30, ela também vai inaugurar a Arena da Baixa -- palco dos jogos da Copa.

Presidenta Dilma, em Curitiba, nesta sexta (9), participa de cerimônia na Federação das Indústrias do Paraná de contratação de construção do metrô; logo mais, à s 16h30, ela também vai inaugurar a Arena da Baixa — palco dos jogos da Copa.

A presidenta Dilma Rousseff participa, nesta sexta-feira (9), em Curitiba, da cerimônia de contratação do Metrô de Curitiba. Ao Blog do Planalto, o secretário municipal de Planejamento e Gestão, Fábio Scatolin, afirmou que o projeto para construção do metrô tem como premissa fundamental a integração com outros modais da cidade, reconhecida por seu modelo de transporte público de passageiros.

Curitiba tem uma longa tradição de planejamento urbano que centrou basicamente nos modais de baixa e média capacidade. O crescimento da cidade nos últimos 50 anos faz com que a gente repense o sistema centrado apenas no ônibus para um sistema multimodal. Isso significa que você precisa ter modais de alta capacidade, como o metrô, que foi a escolha de Curitiba, manter os modais de média capacidade, como os nossos BRTs, melhorar, expandir esses BRTs onde existe a demanda, e modais para a população como ciclistas, pedestres etc.!, disse.

Scatolin destacou que o objetivo principal é melhorar a qualidade de vida da população, diminuindo o tempo de deslocamento para aumentar a produtividade social!, seja para o lazer ou para o trabalho. Para o secretário, essa qualidade de vida tem também uma dimensão ambiental.

Curitiba tem uma longa tradição nessa questão e ao substituir a poluição do diesel, do dióxido de carbono, por energia renovável, que é a energia elétrica, você está contribuindo para uma cidade mais sustentável!, conclui.

Para a técnica em enfermagem Rosa de Lima, de 42 anos, o metrô vai garantir que ela tenha mais tempo para a família. Atualmente, Rosa gasta cerca de 40 minutos para ir de casa para o trabalho e quase uma hora para voltar, todos os dias.

A gente perde muito tempo no ponto esperando o ônibus, a gente perde muito tempo dentro do ônibus, então se eu tiver mais tempo, de manhã posso acordar mais tarde, à  tarde posso voltar para casa mais cedo, posso ficar mais com minha a família. Isso é o mais importante de tudo!, afirma.

Comentários encerrados.