Por Esmael Morais

Por que Richa agora bate ‘sem dó’ em Requião? Seria o “Efeito Ducci”?

Quem assistiu ao “cafezinho” ontem à  noite disfarçado de entrevista, no programa Roda Viva, da TV Cultura, teve a certeza de que o governador Beto Richa (PSDB) teme enfrentar o senador Roberto Requião (PMDB) nas eleições de outubro. O tucano bateu sem dó nem piedade no antecessor, coisa que vinha evitando nos últimos anos. No cafezinho, ops, na entrevista de ontem, Richa até conseguiu esquecer um pouco a petista Gleisi Hoffmann para se dedicar mais ao ataque contra Requião. O governador retirou do armário a expressão herança maldita! ao se referir ao suposto rombo de R$ 1,4 bi nas contas do Estado deixado pelo peemedebista. O chavão é mais convincente quando utilizado em início de mandato, não no final de feira. Mais “bocudo” que habitualmente, o tucano falou que no governo passado não existia governador porque de manhã Requião andava a cavalo e à  tarde tomava vinho caro na Granja Canguiri (clique aqui). Richa teme o “Efeito Ducci” nas eleições deste ano, ou seja, receia repetir desempenho de seu pupilo Luciano Ducci (PSB), em 2012, que não conseguiu avançar para o segundo turno na disputa pela Prefeitura de Curitiba. Por isso a sessão “pancadaria” inaugurada há alguns dias pelo Palácio Iguaçu. Pelo Twitter, Requião dava o troco: “Pedimos desculpas aos telespectadores da TV cultura, Roda Viva, este governador foi um descuido do Paraná. Nós não somos assim”. Nesta terça (6), ao Blog do Esmael, o senador disse que Richa é um “desqualificado” que se assemelha a um “Onagro Ungulado”. Quanto aos entrevistadores, bem… eles só levantavam a bola para Richa cortar. A exceção, fique claro, foi a previsível participação do jornalista Rogério Galindo, da Gazeta do Povo, que retirou o verniz “chapa-branca” do Roda Viva. O programa da TV Cultura de São Paulo é comandado pelo jornalista Augusto Nunes, considerado um dos mais hidrófobos da revista Veja e um dos soldados do tucanato nacional. O Blog do Esmael transmitiu ao vivo o cafezinho! e disponibiliza o vídeo gravado aqui.

Publicado em 06/05/2014

Governador Beto Richa "elegeu" ontem o senador Roberto Requião como alvo preferencial de seus ataques durante "cafezinho" na bancada da TV Cultura, no programa Roda Viva; tucano teme o "Efeito Ducci" nas eleições deste ano, ou seja, receia repetir fiasco de seu pupilo Luciano Ducci (PSB), em 2012, que não conseguiu avançar para o segundo turno na disputa pela Prefeitura de Curitiba; Richa retirou do armário a expressão herança maldita! ao acusar suposto rombo de R$ 1,4 bi nas contas do Estado deixado pelo peemedebista; chavão é mais convincente quando utilizado em início de mandato, não em final de feira; Roda Viva, não se preocupem com o trapalhão do Beto Richa, de repente a gente volta e põe o Paraná em ordem. Já fizemos isto uma vez!, avisou ontem pelo Twitter o senador.

Governador Beto Richa “elegeu” ontem o senador Roberto Requião como alvo preferencial de seus ataques durante “cafezinho” na bancada da TV Cultura, no programa Roda Viva; tucano teme o “Efeito Ducci” nas eleições deste ano, ou seja, receia repetir fiasco de seu pupilo Luciano Ducci (PSB), em 2012, que não conseguiu avançar para o segundo turno na disputa pela Prefeitura de Curitiba; Richa retirou do armário a expressão herança maldita! ao acusar suposto rombo de R$ 1,4 bi nas contas do Estado deixado pelo peemedebista; chavão é mais convincente quando utilizado em início de mandato, não em final de feira; Roda Viva, não se preocupem com o trapalhão do Beto Richa, de repente a gente volta e põe o Paraná em ordem. Já fizemos isto uma vez!, avisou ontem pelo Twitter o senador.

Quem assistiu ao “cafezinho” ontem à  noite disfarçado de entrevista, no programa Roda Viva, da TV Cultura, teve a certeza de que o governador Beto Richa (PSDB) teme enfrentar o senador Roberto Requião (PMDB) nas eleições de outubro. O tucano bateu sem dó nem piedade no antecessor, coisa que vinha evitando nos últimos anos.

No cafezinho, ops, na entrevista de ontem, Richa até conseguiu esquecer um pouco a petista Gleisi Hoffmann para se dedicar mais ao ataque contra Requião.

O governador retirou do armário a expressão herança maldita! ao se referir ao suposto rombo de R$ 1,4 bi nas contas do Estado deixado pelo peemedebista. O chavão é mais convincente quando utilizado em início de mandato, não no final de feira.

Mais “bocudo” que habitualmente, o tucano falou que no governo passado não existia governador porque de manhã Requião andava a cavalo e à  tarde tomava vinho caro na Granja Canguiri (clique aqui).

Richa teme o “Efeito Ducci” nas eleições deste ano, ou seja, receia repetir desempenho de seu pupilo Luciano Ducci (PSB), em 2012, que não conseguiu avançar para o segundo turno na disputa pela Prefeitura de Curitiba. Por isso a sessão “pancadaria” inaugurada há alguns dias pelo Palácio Iguaçu.

Pelo Twitter, Requião dava o troco: “Pedimos desculpas aos telespectadores da TV cultura, Roda Viva, este governador foi um descuido do Paraná. Nós não somos assim”. Nesta terça (6), ao Blog do Esmael, o senador disse que Richa é um “desqualificado” que se assemelha a um “Onagro Ungulado”.

Quanto aos entrevistadores, bem… eles só levantavam a bola para Richa cortar. A exceção, fique claro, foi a previsível participação do jornalista Rogério Galindo, da Gazeta do Povo, que retirou o verniz “chapa-branca” do Roda Viva.

O programa da TV Cultura de São Paulo é comandado pelo jornalista Augusto Nunes, considerado um dos mais hidrófobos da revista Veja e um dos soldados do tucanato nacional.

O Blog do Esmael transmitiu ao vivo o cafezinho! e disponibiliza o vídeo gravado aqui.