Em nome da presidente, Paulo Bernardo dispara: Paulinho da Força devia estar “muito doido”

do Brasil 247

Ministro das Comunicações criticou declaração feita ontem pelo deputado Paulinho no evento do 1!º de Maio da Força Sindical, de que a presidente Dilma Rousseff é quem deveria estar na Papuda; "Isso é linguajar de quem está muito doido, fora do juízo. Esse deputado deve ter enchido a cara antes do ato", disse Paulo Bernardo; Paulinho comprou três garrafas de tequila para a festa desta quinta-feira e, à s 11h, já circulava com um copo na mão; chegou a tomar também doses de pinga com conhaque; segundo ele, para "calibrar o discurso"; fala acabou preocupando até advogados da central.

Ministro das Comunicações criticou declaração feita ontem pelo deputado Paulinho no evento do 1!º de Maio da Força Sindical, de que a presidente Dilma Rousseff é quem deveria estar na Papuda; “Isso é linguajar de quem está muito doido, fora do juízo. Esse deputado deve ter enchido a cara antes do ato”, disse Paulo Bernardo; Paulinho comprou três garrafas de tequila para a festa desta quinta-feira e, à s 11h, já circulava com um copo na mão; chegou a tomar também doses de pinga com conhaque; segundo ele, para “calibrar o discurso”; fala acabou preocupando até advogados da central.

O discurso feito pelo deputado Paulinho da Força ontem na festa do 1!º de Maio do Campo de Bagatelle, em Santana, na zona norte de São Paulo, causou indignação entre os aliados da presidente Dilma Rousseff. O parlamentar disse que Dilma é quem deveria estar no presídio da Papuda, em Brasília, onde estão encarcerados condenados no chamado ‘mensalão’.

“O governo que deveria dar o exemplo está atolado na corrupção. Se fizer o que a presidente Dilma falou ontem, quem vai parar na Papuda é ela”, disse Paulinho, em alusão ao pronunciamento feito por Dilma em cadeia nacional de rádio e TV pelo Dia do Trabalhador (leia mais). Ele discursou ao lado do presidenciável tucano Aécio Neves (PSDB-MG), a quem apoiará em 2014.

“Isso é linguajar de quem está muito doido, fora do juízo. Esse deputado deve ter enchido a cara antes do ato”, comentou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. A fala de Paulinho preocupou inclusive advogados da central sindical.

Segundo nota da jornalista Vera Magalhães, que edita a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, o deputado comprou três garras de tequila Revolucion para a festa da entidade e, à s 11h, já circulava com um copo na mão. Paulinho chegou a tomar também doses de pinga com conhaque. Sua justificativa: para “calibrar o discurso”.

O palanque da Força acabou virando um ato político contra a presidente. Paulinho chamou ao palco um humorista do programa Pânico, da TV Bandeirantes, que estava caracterizado de Dilma. “Todos os anos, nós convidamos todos os candidatos a presidente para o palco. Neste ano, só teve coragem o Aécio, que não mandou representante. Veio ele mesmo. Quer dizer, a Dilma também veio, mais feia que o diabo”, disse.

Em seguida, afirmou que ela merecia uma banana, ao fazer referência ao que aconteceu com o jogador brasileiro Daniel Alves na Espanha. “Vocês viram a banana que jogaram no Daniel Alves? Quem merece uma banana é ela. Quem aí sabe fazer o gesto da banana? Vamos dar uma banana para a Dilma. Toma aqui, presidente!”

Comentários encerrados.