Coluna do Requião Filho: Professores e policiais do Paraná, uni-vos contra as mentiras de Richa!

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, exorta os policiais e professores, especificamente, e o funcionalismo público, em geral, a se levantarem contra a propaganda enganosa de Beto Richa; Professores e policiais do Paraná, uni-vos contra as mentiras de Richa!!, parafraseia o advogado especialista em políticas públicas o Manifesto Comunista, de Karl Marx, já no título do texto; sobre a greve da educação, no mês passada, o colunista contesta o tucano: Não foi uma
Requião Filho, em sua coluna desta quinta, exorta os policiais e professores, especificamente, e o funcionalismo público, em geral, a se levantarem contra a propaganda enganosa de Beto Richa; Professores e policiais do Paraná, uni-vos contra as mentiras de Richa!!, parafraseia o advogado especialista em políticas públicas o Manifesto Comunista, de Karl Marx, já no título do texto; sobre a greve da educação, no mês passada, o colunista contesta o tucano: Não foi uma “grevezinha” como disse Beto Richa em entrevista no programa Roda Viva, da TV Cultura, no início da semana!; Respeito, como preconiza o atual governo, é parar de falar abobrinha e colocar a culpa de seus problemas nos outros!, ensina Requião Filho; leia o texto e compartilhe.
Requião Filho

Condições de trabalho. Era esta a mobilização de nossos educadores na última greve. Queriam seus direitos e o cumprimento de promessas eleitoreiras feitas pelo atual governador, mas as péssimas condições de trabalho foi o que levou a indignação ao ponto de ebulição. Foi este sentimento que motivou os profissionais da educação que trabalham com amor por sua profissão a fazer umas das mais bonitas e civilizadas manifestações que o Centro Cívico já viu. Não foi uma “grevezinha” como disse Beto Richa em entrevista no programa Roda Viva, da TV Cultura, no início da semana.

Esta indignação existe também em outras áreas do funcionalismo público. Sim, faltam condições de trabalho aos demais servidores.

Um dos braços do funcionalismo que anda muito insatisfeito com as condições de trabalho, ou melhor, com a falta de condições, é a polícia. Não falo aqui apenas da PM, mas também da polícia Civil e dos agentes penitenciários do Paraná. As forças responsáveis pela segurança pública do Paraná são maltratadas e ignoradas pelo governo. As únicas ações tomadas para com as forças de segurança do nosso Estado são aquelas que podem gerar uma mídia imediata.

O Governo do Paraná diz ter comprado o maior lote de viaturas do Estado. Verdade. Foi o maior lote comprado de uma única vez, algo próximo a 1.200 viaturas, mas omite que foi a única aquisição no período de três anos. Note que foi mais uma jogada de marketing. Um lote considerável, adquirido em uma só jogada, serve apenas para propaganda, pois na verdade é um grande erro de estratégia logística, uma vez que toda a frota nova ficará baixada para manutenção ao mesmo tempo… Coisa de marqueteiro que não entende do riscado. Veja a diferença, no governo passado foram compradas cerca de 7.000 viaturas, ou seja, média de 3.500 veículos por período.

O Governo atual afirmou em promessa de campanha que esvaziaria as celas das delegacias de polícia e acabaria com o desvio de função dos policiais civis que fazem as vezes de carcerários. Não houve este esvaziamento. As vagas no sistema prisional do Paraná foram mais um golpe de marketing, vitimando, em mais esta oportunidade, os eleitores paranaenses.

Não foram criadas novas vagas no sistema. Não foram erguidas novas penitenciárias. O que de fato ocorreu foi apenas o remanejamento e a readequação para colocar mais presos nas vagas já existentes.

A ocupação ideal de uma cela seria de no máximo 4 detentos, atualmente 6, 7, 8 presos dividem o mesmo espaço. Mais uma vez é importante diferenciar a postura do governo anterior com o problema, onde foram construídas 12 novas penitenciárias e contratados mais de 10 mil profissionais de segurança para reforçar o efetivo das polícias militar, civil, científica, corpo de bombeiros e agentes penitenciários.

Também a substituição dos antigos revólveres canelas secas! – .38 — das forças de segurança por modernas pistolas de calibre .40 foi obra governo passado. Este governo nada…

Imaginem você que eu não achei registros no site oficial de nenhuma compra de coletes balísticos, o famoso colete a prova de balas!. Itens estes que são de suma importância para salvar a vida de nossos agentes de segurança.

Existe hoje um grupo de alunos da PM sendo formado na academia do Guatupê, que não sabe quando iniciarão as suas atividades. Ocorre que uma vez formados, automaticamente, passarão a receber o salário completo e não apenas os 50% que recebem agora, como alunos, causando impacto na já tumultuada folha de pagamento do Paraná.

Além dos graves fatos acima, as condições de trabalho dos servidores da segurança pública são precárias. Passemos pela já conhecida falta de combustível das viaturas, aliada à  falta de manutenção dos veículos, também a dieta forçada dos cães da PM, bem como o racionamento da comida dos policiais aquartelados, culminando com a falta de pagamento aos correios que gerou o cancelamento do malote da PM.

Respeito, como preconiza o atual governo, é parar de falar abobrinha e colocar a culpa de seus problemas nos outros. Respeito é dar condições de trabalho para quem arrisca a vida diuturnamente por nós paranaenses.

*Requião Filho é advogado, especialista em políticas públicas, escreve à s quintas no Blog do Esmael.

Comments are closed.