Por Esmael Morais

Au-au: Veja produz a mais bizarra peça jornalística da história

Publicado em 25/05/2014

O voo de Doe atrasa e durante sua estadia no Brasil e ele também descobre que aqui as transferências bancárias apresentam problemas, a internet funciona mal e é impossível cancelar uma linha telefônica. O Brasil seria ainda o país da burocracia, onde as coisas só seriam válidas se estivessem carimbadas. Fazer contratos de aluguel, então, um martírio.

São mais de vinte páginas de blablablá, que demonstram apenas o esgotamento do modelo Veja de denuncismo barato e a falta de criatividade de seus editores.

Mas a capa talvez esteja inserida num contexto. à€s vésperas da Copa do Mundo de 2014, é hora de baixar a cabeça e sentir vergonha do País, como sugeriu o craque Ronaldo.

à‰POCA TAMBà‰M ADERE AO DISCURSO VIRA-LATA

Somos fracassados, nada do que é bom se vê por aqui, queremos um Brasil padrão Fifa, mas onde encontrá-lo? Segundo a revista à‰poca, as soluções estão na Finlândia, na Inglaterra, no Japão; assim como Ronaldo e Veja, as Organizações Globo também querem que você se sinta derrotado; será que tudo isso é coincidência, ou faz parte de um esforço organizado para provocar baixo-astral à s vésperas da Copa do Mundo de 2014?

Somos fracassados, nada do que é bom se vê por aqui, queremos um Brasil padrão Fifa, mas onde encontrá-lo? Segundo a revista à‰poca, as soluções estão na Finlândia, na Inglaterra, no Japão; assim como Ronaldo e Veja, as Organizações Globo também querem que você se sinta derrotado; será que tudo isso é coincidência, ou faz parte de um esforço organizado para provocar baixo-astral à s vésperas da Copa do Mundo de 2014?

247 – O craque Ronaldo, membro do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014, está envergonhado pelos atrasos na Copa do Mundo de 2014 (leia mais aqui).

John Doe, o americano de ficção criado pelos Civita, alter-ego da família, desembarcou no Brasil e descobriu que este país é um lixo. Nada funciona (leia mais aqui).

A Globo, que irá faturar bilhões com a Copa, uma vez que detém os direitos de transmissão do Mundial, também sente vergonha do País que deu aos Marinho uma das maiores fortunas do mundo !“ e a maior derivada de um grupo de mídia.

à‰poca, a semanal da Globo, sonha com um Brasil “padrão Fifa”, onde tudo que é bom está fora. Os desejos contemplam a educação da Finlândia, a medicina da Inglaterra, a segurança do Japão, a democracia norueguesa, o padrão corporativo dos Estados Unidos (a Enron que o diga), o ambientalismo alemão e sueco e o jeito israelense de fazer negócios, além da vida cultural francesa !“ a reportagem não trata dos meios de comunicação, mas presume-se que o modelo brasileiro seja o mais adequado.

Sei não, parece que alguém pretende fazer com que você sinta derrotado e fracassado, como um autêntico cãozinho vira-latas, à s vésperas da Copa do Mundo de 2014.