Vargas estaria blindado pela mídia mesmo que tivesse carregado cocaína em avião, se tucano fosse

Publicado em 3 abril, 2014
Compartilhe agora!

Considerado braço "invisível" da direita no Congresso Nacional, PSOL protocolou nesta quinta (3) representação contra deputado André Vargas; objetivo é manter parlamentar do PT sob intenso fogo na velha mídia, que não teve o mesmo "tesão" nos casos do mensalão tucano e Perrella; se fosse tucano e contra Lula, vice-presidente da Câmara poderia até ser acusado de carregar cocaína na aeronave que teria a complacência dos barões da mídia brasileira; assim a história recente ensina; cresce nas redes  sociais o sentimento perseguição implacável à  raça! chamada petista.
Considerado braço “invisível” da direita no Congresso Nacional, PSOL protocolou nesta quinta (3) representação contra deputado André Vargas; objetivo é manter parlamentar do PT sob intenso fogo na velha mídia, que não teve o mesmo “tesão” nos casos do mensalão tucano e Perrella; se fosse tucano e contra Lula, vice-presidente da Câmara poderia até ser acusado de carregar cocaína na aeronave que teria a complacência dos barões da mídia brasileira; assim a história recente ensina; cresce nas redes sociais o sentimento perseguição implacável à  raça! chamada petista.
Nas redes sociais, cresce o sentimento de que o judiciário e a mídia promovem perseguição implacável ao PT e aos aliados do ex-presidente Lula. Hoje, a bola da vez é o vice-presidente da Câmara, André Vargas (PT-PR). Amanhã deverá ser outro, e assim sucessivamente, até não restar mais nenhum desta “raça” chamada petista. A isso eu classificaria fascismo. Eu explico os motivos desta minha conclusão, abaixo, comparando este caso do deputado do PT com os procedimentos adotados pela velha mídia no caso Perrella. Confira:

Cena 1 – Em novembro de 2013, um helicóptero de propriedade do deputado Gustavo Perrella (SDD-MG) foi apreendido pela Polícia Federal carregando 450 kg de cocaína. O dono da aeronave é filho do senador Zezé Perrella (PSD-MG). Ambos são amigos e conterrâneos do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Cena 2- O vice-presidente da Câmara, deputado André Vargas (PT-PR), no começo de 2014, pegou carona nas asas do jatinho do empresário Alberto Youssef. O petista jura que desconhecia suas atividades criminosas, mas, pelo que se sabe, não transportou droga alguma no voo que fez entre Londrina (PR) e João Pessoa (PB).

Cena 3- A velha mídia aliviou no episódio da cocaína no helicóptero dos Perrella. Nada se fala mais sobre isso. Nenhuma relação fora feita com Aécio.

Cena 4- Ex-presidente Lula, em dezembro do ano passado, durante congresso do PT, foi direto ao assunto cobertura midiática: “Se for comparar o emprego do Zé Dirceu no hotel com a quantidade de cocaína no helicóptero, pelo menos houve uma desproporcionalidade no assunto”.

Cena 5- O PSOL, braço “invisível” do DEM e PSDB no Congresso, através do deputado Ivan Valente (SP), protocolou nesta quinta-feira (3) pedido de investigação contra Vargas.

Cena 6 – Não se viu a mesma vontade do PSOL, PSDB e DEM para investigar o megacarregamento de cocaína na aeronave dos Perrella — amigos do tucano Aécio Neves.

Cena 7 – A velha mídia não ficou com “tesão” no caso Perrella e no mensalão tucano. Os dois temas foram à  gaveta dos barões da mídia brasileira por questões óbvias.

Moral do filme: André Vargas estaria blindado se fosse tucano ou amigo de Aécio Neves; até poderia carregar meia tonelada de cocaína que daria em nada; ou melhor, teria mais sorte se fosse parlamentar contra Lula e Dilma; o moço tem o “azar” de ser petista, por isso é “caçado” dia e noite pela velha mídia.

Compartilhe agora!

Comments are closed.