José Roberto Marinho, da Globo, vai a Dilma. Agenda secretíssima

do Brasil 247

Encontro entre o vice-presidente das Organizações Globo, João Roberto Marinho, e a presidente Dilma Rousseff, que não estava previsto na agenda, acaba de ser confirmado pelo Palácio do Planalto; o tema não foi divulgado; recentemente, a Globo foi autuada pela Receita Federal em R$ 274 milhões por sonegação na compra dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002; corrigida, dívida chegaria hoje a R$ 615 milhões.

Encontro entre o vice-presidente das Organizações Globo, João Roberto Marinho, e a presidente Dilma Rousseff, que não estava previsto na agenda, acaba de ser confirmado pelo Palácio do Planalto; o tema não foi divulgado; recentemente, a Globo foi autuada pela Receita Federal em R$ 274 milhões por sonegação na compra dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002; corrigida, dívida chegaria hoje a R$ 615 milhões.

Acaba de ser confirmado pelo Palácio do Planalto um encontro da presidente Dilma Rousseff que não constava da agenda desta terça-feira 8. Dilma se reuniu, no final desta manhã, com o presidente do Conselho Editorial e vice-presidente das Organizações Globo, João Roberto Marinho.

O assunto tratado no encontro também não foi divulgado. Vale lembrar que, no ano passado, a Globo foi autuada em R$ 274 milhões pela Receita Federal por sonegação de impostos. Com valores corrigidos, a multa chega a R$ 615 milhões, segundo denúncia do Blog O Cafezinho, primeiro a revelar o caso.

Leia abaixo notícia anterior do 247 sobre o caso, que envolve fraude na compra de direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002 pela emissora:

BLOG O CAFEZINHO DENUNCIA SONEGAà‡àƒO DA GLOBO

Segundo o blog, a emissora de José Roberto Marinho disfarçou a compra dos direitos de transmissão dos jogos da Copa do Mundo de 2002 como investimentos em participação societária no exterior, o que teria resultado na sonegação de R$ 183,14 milhões, em valores não atualizados; somando juros e multa, já definidos pelo fisco, o valor que a Globo devia ao contribuinte brasileiro em 2006 sobe a R$ 615 milhões, diz O Cafezinho. Leia:

Bomba! O mensalão da Globo! (clique e leia a íntegra)

O Cafezinho acaba de ter acesso a uma investigação da Receita Federal sobre uma sonegação milionária da Rede Globo. Trata-se de um processo concluído em 2006, que resultou num auto de infração assinado pela Delegacia da Receita Federal referente à  sonegação de R$ 183,14 milhões, em valores não atualizados. Somando juros e multa, já definidos pelo fisco, o valor que a Globo devia ao contribuinte brasileiro em 2006 sobe a R$ 615 milhões. Alguém calcule o quanto isso dá hoje.

A fraude da Globo se deu durante o governo Fernando Henrique Cardoso, numa operação tipicamente tucana, com uso de paraíso fiscal. A emissora disfarçou a compra dos direitos de transmissão dos jogos da Copa do Mundo de 2002 como investimentos em participação societária no exterior. O réu do processo é o cidadão José Roberto Marinho, proprietário da empresa acusada de sonegação.

Esconder dólares na cueca é coisa de petista aloprado. Se não há provas para o mensalão petista, ou antes, se há provas que o dinheiro da Visanet foi licitamente usado em publicidade, o mensalão da Globo é generoso em documentos que provam sua existência. Mais especificamente, 12 documentos, todos mostrados ao fim do post. Uso o termo mensalão porque a Globo também cultiva seu lobby no congresso. Também usa dinheiro e influência para aprovar ou bloquear leis. O processo correu até o momento em segredo de justiça, já que, no Brasil, apenas documentos relativos a petistas são alvo de vazamento. Tudo que se relaciona à  Globo, à  Dantas, ao PSDB, permanece quase sempre sob sete chaves. Mesmo quando vem à  tôna, a operação para abafar as investigações sempre é bem sucedida. Vide a inércia da Procuradoria em investigar a privataria tucana, e do STF em levar adiante o julgamento do mensalão “mineiro”.

Pedimos encarecidamente ao Ministério Publico, mais que nunca empoderado pelas manifestações de rua, que investigue a sonegação da Globo, exija o ressarcimento dos cofres públicos e peça a condenação dos responsáveis.

O sindicato nacional dos auditores fiscais estima que a sonegação no Brasil totaliza mais de R$ 400 bilhões. Deste total, as organizações Globo respondem por um percentual significativo.

A informação reforça a ideia de que o plebiscito que governo e congresso enviarão ao povo deve incluir a democratização da mídia. O Brasil não pode continuar refém de um monopólio que não contente em lesar o povo sonegando e manipulando informações, também o rouba na forma de crimes contra o fisco.

Comentários encerrados.