Gomyde vence batalha no PCdoB. Aliel concorre a federal

Publicado em 10 abril, 2014
Compartilhe agora!

Vereador Aliel Machado, do município de Ponta Grossa, nesta quinta (10), decidiu disputar a Câmara Federal; liderança política em ascensão, o presidente da Câmara de Vereadores vinha tirando o sono de Gomyde e Péricles, que concorrerão à  Assembleia Legislativa do Paraná; entre mortos e feridos, todos se abraçaram aliviados; hoje, todos terão dormirão o sono dos justos, até aparecer uma próxima crise.
Vereador Aliel Machado, do município de Ponta Grossa, nesta quinta (10), decidiu disputar a Câmara Federal; liderança política em ascensão, o presidente da Câmara de Vereadores vinha tirando o sono de Gomyde e Péricles, que concorrerão à  Assembleia Legislativa do Paraná; entre mortos e feridos, todos se abraçaram aliviados; hoje, todos terão dormirão o sono dos justos, até aparecer uma próxima crise.
O ex-diretor de Futebol do Ministério do Esporte, Ricardo Gomyde, presidente do PCdoB do Paraná, venceu queda de braço com o presidente da Câmara Municipal de Ponta Grossa, Aliel Machado, em torno de candidatura à  Assembleia Legislativa. Eles disputavam a condição de “prioritário” no partido, mas, nesta quinta (10), o vereador “afrouxou o sutiã” ao decidir pela Câmara Federal.

Na semana passada, ao blog, Aliel jurou de pés juntos que não recuaria da intenção de concorrer à  Assembleia. Entretanto, hoje, foi enquadrado pela realidade política. Pesou o fato de o caminho à  Assembleia estar congestionado pelo excesso de candidatos a estadual na cidade dos Campos Gerais.

Em Ponta Grossa, concorrerão a estadual Plauto Miró (DEM), Péricles Mello (PT), Márcio Pauliki, Edilson Fogaça, Marcos Zampieri, dentre outros.

A federal, até agora despontam Sandro Alex (PPS), João Barbiero (PV) e Aliel.

Gomyde agradece, pois venceu mais uma batalha interna. Não terá concorrente dentro do PCdoB. Outro que comemora a decisão de Aliel é o deputado Péricles Mello, que tem como base principal o município de Ponta Grossa. O petista temia que o vereador corresse a mesma faixa de voto que sua, atrapalhando-o na reeleição.

Entre mortos e feridos, todos se abraçaram aliviados. Hoje, eles dormirão o sono dos justos, acredito separados, até aparecer uma próxima crise.

Compartilhe agora!

Comments are closed.