Folha estimula protestos de Black Blocs durante a Copa

Folha de S. Paulo anunciou neste domingo (13) que, a partir de amanhã, lançará o "protestômetro", um canal em seu site que, inexoravelmente, deverá estimular a volta dos Black Blocs e das manifestações violentas no país; em fevereiro deste ano, os mascarados produziram seu primeiro cadáver: Santiago Andrade, que era cinegrafista da TV Bandeirantes; será que a história recente nada ensinou ao jornal comandado por Otávio Frias Filho? Será que para derrubar Dilma, estimular o complexo de vira-latas, vale tudo, até mesmo baixas?

Folha de S. Paulo anunciou neste domingo (13) que, a partir de amanhã, lançará o “protestômetro”, um canal em seu site que, inexoravelmente, deverá estimular a volta dos Black Blocs e das manifestações violentas no país; em fevereiro deste ano, os mascarados produziram seu primeiro cadáver: Santiago Andrade, que era cinegrafista da TV Bandeirantes; será que a história recente nada ensinou ao jornal comandado por Otávio Frias Filho? Será que para derrubar Dilma, estimular o complexo de vira-latas, vale tudo, até mesmo baixas?

O PSTU não está sozinho no estímulo aos protestos de rua durante a Copa do Mundo, em junho. Na quinta (10), o partido foi à  TV, no horário eleitoral, pedir mobilizações contra o governo Dilma (clique aqui).

Neste domingo (13), foi a vez da Folha de S. Paulo anunciar a criação do “protestômetro”, um site que, inexoravelmente, deverá estimular a volta dos Black Blocs e das manifestações violentas no país.

Em fevereiro deste ano, os Black Blocs produziram seu primeiro cadáver: Santiago Andrade, que era cinegrafista da TV Bandeirantes (clique aqui).

Será que a história recente nada ensinou ao jornal comandado por Otávio Frias Filho? Será que para derrubar Dilma, estimular o complexo de vira-latas, vale tudo, até mesmo produzir mais baixas?

A seguir, a anotação do Brasil 247 sobre o tema e o anúncio do “protestômetro” da Folha:

A 60 dias da Copa, Folha lança o “protestômetro”

A exatos dois meses da Copa de 2014, a Folha de S. Paulo, jornal comandado por Otávio Frias Filho, lança uma ferramenta em seu site batizada de “protestômetro” (leia mais aqui). O objetivo declarado é levar aos leitores informações sobre manifestações em diversos pontos do País.

Neste fim de semana, em entrevista à s páginas amarelas da revista Veja, o sociólogo Mauro Paulino afirmou que as eleições de 2014 serão imprevisíveis e destacou dois pontos relevantes: o fator Copa e a possibilidade de repetição de grandes protestos, como os ocorridos em junho do ano passado (leia mais aqui).

Com seu protestômetro, a Folha deixa uma dúvida no ar. Pretende noticiar as manifestações ou também estimulá-las? Abaixo, o texto do jornal que noticia a novidade:

Folha lança ‘protestômetro’ na internet

A Folha lança amanhã, em seu site, o “protestômetro” !”ferramenta que vai permitir aos leitores acompanhar diariamente a quantidade e os detalhes de manifestações e greves em dez das principais cidades do país.

Serão acompanhadas as principais cidades das maiores regiões metropolitanas do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Recife, Fortaleza, Salvador, Curitiba e Campinas (SP).

Espécie de termômetro antes da Copa, o site será alimentado pela Redação, a partir de informações de órgãos municipais, estaduais e federais, além de movimentos sociais, sindicatos e veículos de informação.

O levantamento de dados do “protestômetro” começou há duas semanas. Nesse intervalo, foram 66 protestos nessas dez cidades, além de 17 paralisações de diferentes categorias de trabalhadores.

São Paulo e Rio de Janeiro lideram o número de protestos no período, com ao menos 15 e 13 manifestações, respectivamente.

Neste mês, o evento de maior destaque foi o aniversário de 50 anos do golpe militar, que levou centenas de pessoas à s ruas em todo o país.

Comentários encerrados.