“Eu esperava um posicionamento do PT favorável ao Paraná”, diz Traiano

"Eles quedaram silentes", diz Ademar Traiano sobre o comportamento dos petistas Enio Verri e Tadeu Verri, que hoje participaram da reunião com o secretário Nacional do Tesouro; dinheiro do Proinveste não sai por pura incompetência do governo do PSDB!, rebate Verri; autor da proposta de audiência na STN, Luiz Cláudio Romanelli, registra que "só falta pedirem exame de sangue do Paraná"; expedição suprapartidária que foi a Brasília, nesta quarta (9), voltou de mãos abanando.

“Eles quedaram silentes”, diz Ademar Traiano sobre o comportamento dos petistas Enio Verri e Tadeu Verri, que hoje participaram da reunião com o secretário Nacional do Tesouro; dinheiro do Proinveste não sai por pura incompetência do governo do PSDB!, rebate Verri; autor da proposta de audiência na STN, Luiz Cláudio Romanelli, registra que “só falta pedirem exame de sangue do Paraná”; expedição suprapartidária que foi a Brasília, nesta quarta (9), voltou de mãos abanando.

O deputado Ademar Traiano (PSDB), líder do governo Beto Richa (PSDB) na Assembleia Legislativa do Paraná, na noite desta quarta (9), fez um balanço ao blog sobre a reunião de hoje com Arno Augustin, da Secretaria Nacional do Tesouro (STN).

“Eu esperava um posicionamento do PT favorável ao Paraná”, lamentou Traiano, referindo-se aos colegas de parlamento petistas Enio Verri e Tadeu Veneri. “Eles quedaram silentes”, completou o tucano.

Para o ideólogo do Palácio Iguaçu, a senadora Gleisi Hoffmann, que lidera uma implacável perseguição ao Paraná, não apareceu na reunião alegando “outros compromissos importantes”.

“Não compreendo o que pode ser mais urgente do que levar R$ 817 milhões ao nosso estado”, protestou o líder de Beto Richa.

Traiano ainda disse que a bancada federal estava lá na reunião, mas a senadora fugiu de dar explicações.

“Gleisi estava ocupada tentando melar a CPI da Petrobras. Ficou mais evidente na reunião que o governo federal inventa pendências para não liberar o dinheiro. Arno [Augustin] disse que não vai cumprir decisão liminar do STF”, lamentou o deputado tucano.

O deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), autor intelectual da audiência de hoje na STN, também lambe as feridas da batalha. Segundo ele, “só falta pedirem exame de sangue do Paraná”.

“O secretário não conseguiu explicar porque estados com condição financeira e fiscal graves, o que não é caso do Paraná, estão recebendo empréstimos e o Paraná não. Daqui a pouco vão acabar pedindo o exame de sangue do Paraná e se o colesterol estiver alterado, não liberam o empréstimo!, reagiu Romanelli.

O deputado Enio Verri, presidente estadual do PT, vê o resultado da reunião com Augustin de outro prisma. Para ele, o secretário da STN “deu uma aula sobre a situação, mostrou uma disposição incrível em ajudar o Paraná, respondeu todos os questionamentos de forma muito esclarecedora e elegante. Mostrou que o problema esteve no governo Richa, que não conseguiu lidar da maneira mais apropriada com a situação!, explicou o deputado Enio Verri, presidente estadual do PT.

O parlamentar petista observou que se o governo Richa não tivesse pedido a garantia na operação o dinheiro já estaria na conta do tesouro estadual. O procedimento revelou que o governo estadual não gasta apenas 10% do orçamento na saúde, enquanto a lei determina 12%.

Uma secretaria do governo Richa não conversou com outra secretaria do governo Richa, ou seja, o dinheiro do Proinveste não sai por pura incompetência do governo do PSDB!, disse Verri.

Comentários encerrados.