Por Esmael Morais

Em Curitiba, 20 mil marcham pela educação nesta manhã

Publicado em 29/04/2014

Embora o Comando de Greve da APP-Sindicato tenha ontem sinalizado pelo encerramento da greve, que hoje entra no sétimo dia, professores contratados pelo regime PSS e Educação Especial não receberam nenhuma proposta do governo Beto Richa; daqui a pouco, a partir das 9 horas, marcha deverá reunir 20 mil educadores no trajeto Praça Santos Andrade-Palácio Iguaçu; nesta tarde, à s 15h30, no Teatro Positivo, uma assembleia da categoria vai avaliar se encerra ou continua com o movimento grevista no Paraná; acompanhe o protesto aqui pelo Blog do Esmael.

Embora o Comando de Greve da APP-Sindicato tenha ontem sinalizado pelo encerramento da greve, que hoje entra no sétimo dia, professores contratados pelo regime PSS e Educação Especial não receberam nenhuma proposta do governo Beto Richa; daqui a pouco, a partir das 9 horas, marcha deverá reunir 20 mil educadores no trajeto Praça Santos Andrade-Palácio Iguaçu; nesta tarde, à s 15h30, no Teatro Positivo, uma assembleia da categoria vai avaliar se encerra ou continua com o movimento grevista no Paraná; acompanhe o protesto aqui pelo Blog do Esmael.

A APP-Sindicato estima que 20 mil educadores marcharão na manhã desta terça (29), a partir das 9 horas, da tradicional Praça Santos Andrade, na Universidade Federal do Paraná (UFPR), até o Palácio Iguaçu, sede do governo estadual, no bairro Centro Cívico.

Além dos educadores do Paraná, virão caravanas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, além do presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Leão.

Governo e sindicato já acenderam o cachimbo da paz no início da noite de ontem (28), depois da terceira rodada de negociações com o governador Beto Richa (PSDB), Dinorah Nogara (Administração), Luiz Eduardo Sebastiani (Fazenda), Paulo Schmidt (Educação), Ademar Traiano (líder na Assembleia), Deonilson Roldo (chefe de gabinete) e Valdir Rossoni (presidente da Assembleia).

Em síntese, para pôr fim ao movimento paredista, o governo do estado propõe pagamento de R$ 100 milhões atrasados, referentes a avanços e progressões, em três vezes (na primeira proposta, o Palácio Iguaçu propunha em dez vezes). O reajuste seria de 6,5% na data-base de maio.

Outras demandas, de menor impacto financeiro, também serão atendidas, a exemplo da suspensão do corte do auxílio-transporte aos educadores em licença médica.

Entretanto, a APP-Sindicato não recebeu nenhuma proposta que contemple os 20 mil professores contratados em regime PSS “do último dia”. O governo também nada propôs sobre melhorias no atendimento à  saúde, implantação da hora-aula para a Educação Especial, concursos públicos, porte da escola, desmonte pedagógico, nem sobre o enquadramento dos aposentados ao nível II.

Hoje à  tarde, por volta das 15h30, os grevistas se reunirão na Expo Unimed Curitiba (Teatro Positivo) para analisar a nova proposta do governo do estado. Portanto, é muito provável que a greve se encerre nesta terça !“ se assim a assembleia decidir, é claro.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.