Conselho de à‰tica aceita processo contra André Vargas

Agência Câmara, via 247

Deputados aprovam relatório preliminar do deputado Júlio Delgado (PSB-MG), que estabelece a abertura do processo disciplinar contra o ex-vice-presidente da Câmara; reunião havia sido suspensa em decorrência do início da Ordem do Dia no Plenário, mas com o início de uma sessão extraordinária, pôde ser retomada; houve no total 12 votos, um a mais que o necessário para o prosseguimento do processo contra o deputado licenciado André Vargas, acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef; a partir do dia em que for notificado, o ex-petista terá dez dias para apresentar sua defesa.

Deputados aprovam relatório preliminar do deputado Júlio Delgado (PSB-MG), que estabelece a abertura do processo disciplinar contra o ex-vice-presidente da Câmara; reunião havia sido suspensa em decorrência do início da Ordem do Dia no Plenário, mas com o início de uma sessão extraordinária, pôde ser retomada; houve no total 12 votos, um a mais que o necessário para o prosseguimento do processo contra o deputado licenciado André Vargas, acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef; a partir do dia em que for notificado, o ex-petista terá dez dias para apresentar sua defesa.

O Conselho de à‰tica e Decoro Parlamentar acaba de aprovar o relatório preliminar do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) que estabelece a abertura do processo disciplinar contra o ex 1!º vice-presidente da Câmara, deputado licenciado André Vargas (sem partido). A reunião havia sido suspensa mais cedo em decorrência do início da Ordem do Dia no Plenário. Como foi inciada, contudo, uma sessão extraordinária, a reunião pôde ser retomada.

Votaram favoravelmente à  abertura do processo, além do relator, os deputados Ronaldo Benedet (PMDB-SC), César Conalgo (PSDB-ES), Izalci (PSDB-DF), José Carlos Araújo (PSD-BA), Renzo Braz (PP-MG), à”nix Lorenzoni (DEM-RS), Marcos Rogério (PDT-RO), Félix Mendonça Júnior (PDT-BA), Fábio Trad (PMDB-MS), Junji Abe (PSD-SP) e Sérgio Morais (PMDB-RS) totalizando os 12 votos, um a mais que o necessário para o prosseguimento do processo.

Antes da interrupção, uma servidora da Câmara havia sido nomeada advogada dativa para representar André Vargas, já que o parlamentar não compareceu à  reunião e também não enviou advogado para representá-lo junto ao conselho.

Com a aprovação do relatório preliminar, André Vargas terá 10 dias úteis para apresentar sua defesa escrita. O prazo começa a correr depois que o deputado for notificado. Além de uma viagem de jatinho paga pelo doleiro Alberto Youssef, há suspeitas de que Vargas teria intermediado interesses de Youssef em contratos com o Ministério da Saúde.

André Vargas pediu desfiliação do PT na sexta-feira (25), partido no qual militou por 25 anos, mas até agora seu desligamento da agremiação não foi formalizado na Câmara.

Comentários encerrados.