Coluna do Ademar Traiano: ela [Gleisi Hoffmann] é doida demais!

Ademar Traiano, ideólogo do Palácio Iguaçu, em sua coluna desta quarta, diz que a Gleisi "suave" de 2006 era uma construção de marketing que já não existe mais em 2014, "que vai se revelando cada vez mais falsa"; colunista afirma que "a enfezada defensora do PT e de suas patifarias" se notabilizou em perseguir o Paraná quando teve passagem "apagada" na Casa Civil; guru e líder do governador Beto Richa na Assembleia diz que a senadora atacou o ministro Joaquim Barbosa no afã de defender mensaleiros!, agiu para derrubar a PEC que reduz a maioridade penal e age contra a instalação da CPI da Petrobras; tucano cita o jornalista Reinaldo Azevedo (Veja e Folha de São Paulo) para constatar que a senadora parte para a

Ademar Traiano, ideólogo do Palácio Iguaçu, em sua coluna desta quarta, diz que a Gleisi “suave” de 2006 era uma construção de marketing que já não existe mais em 2014, “que vai se revelando cada vez mais falsa”; colunista afirma que “a enfezada defensora do PT e de suas patifarias” se notabilizou em perseguir o Paraná quando teve passagem “apagada” na Casa Civil; guru e líder do governador Beto Richa na Assembleia diz que a senadora atacou o ministro Joaquim Barbosa no afã de defender mensaleiros!, agiu para derrubar a PEC que reduz a maioridade penal e age contra a instalação da CPI da Petrobras; tucano cita o jornalista Reinaldo Azevedo (Veja e Folha de São Paulo) para constatar que a senadora parte para a “pistolagem” [ação de pistoleiro] política: “Gleisi perdeu o juízo” ao querer ampliar o foco de investigação da estatal de petróleo; … por que não ampliar ainda mais as investigações e incluir o pedófilo que ela levou para a Casa Civil e encarregou de cuidar das políticas federais para menores?!, provoca; leia o texto.

Ademar Traiano*

Quando foi lançada, pelo PT, em sua primeira disputa eleitoral, tentando uma vaga no Senado, em 2006, Gleisi Hoffmann aparecia como uma pessoa suave no Canyon do Guartelá, ao som de música clássica. Gleisi foi derrotada, mas criou uma imagem doce – bolada por marqueteiros – que vai se revelando cada vez mais falsa.

Depois de um apagado período como ministra da Casa Civil, onde só se notabilizou por perseguir o Paraná, tentando viabilizar o projeto petista de tomar o poder no estado, Gleisi, voltou ao Senado. Agora com outra imagem: a enfezada defensora do PT e de suas patifarias.

No Senado, Gleisi articulou contra projeto que reduz a dívida dos estados, que seria particularmente benéfico ao Paraná. Foi fundamental para derrubar a PEC que reduzia a maioridade penal para crimes hediondos. Atacou o ministro Joaquim Barbosa para defender os mensaleiros. E agora tenta melar a CPI da Petrobras.

A tal ponto Gleisi se excedeu, para tentar esconder o mar de lama do PT na Petrobras, que o blogueiro Reinaldo Azevedo (Veja e Folha de São Paulo), o mais lido do país, afirmou que a senadora estava partindo para a “pistolagem” [ação de pistoleiro] política: “Gleisi perdeu o juízo”.

E prossegue: Que coisa! O governo fez de tudo para impedir a CPI da Petrobras. No Senado, já está protocolada. Então a tática agora é partir para a retaliação e o terrorismo. Os porta-vozes da ameaça são o deputado Vicentinho (SP) e a senadora Gleisi Hoffmann (PR)!.

Sobre a bizarra tentativa de Gleisi de introduzir na da CPI da Petrobras temas estranhos, o blogueiro comenta:

– Gleisi Hoffmann não escondia a intenção de recorrer a um truque dos mais asquerosos. à‰ simplesmente irregular fazer um adendo ao requerimento da CPI da Petrobras com esses outros temas, que não são nem mesmo conexos. O que os trens de São Paulo têm a ver com o porto de Pernambuco ou com a Cemig? Resposta óbvia: nada! E Gleisi sabe disso!.

– Gleisi, pré-candidata do PT ao governo do Paraná, disfarça o cinismo com seu ar severo: Eles estão politizando, aproveitando um momento eleitoral. Tem que ter coerência. Se eu sugiro investigação política para algo que já tem investigações técnicas, como é o caso da Petrobras, por que fazer só para um tema e não para o outro?!

E o jornalista prossegue: A resposta é simples, senadora! Uma CPI não é um instrumento de chantagem. Se a senhora achava que era o caso de fazer uma ou mais comissões para todos esses casos, tinha como articular a investigação como chefe da Casa Civil. Indecente é que venha agora com ameaças para impedir que o Parlamento investigue a Petrobras!.

– Digamos que a oposição recue diante das ameaças de Gleisi e Vicentinho. Aí o PT certamente ficaria contente. Afinal, seria como se todos eles se abraçassem, confessando que estão juntos numa penca de falcatruas, contra o povo. Essa é a moral profunda de suas ameaças, senadora! Nem o governo Lula foi tão baixo. Mas se reconheça: sua equipe também não tinha esse grau de ruindade. Dilma, no momento, é a incompetência com o orgulho ferido. A mistura é sempre explosiva!, concluiu Reinaldo Azevedo.

Gleisi provocou a ironia de outro blogueiro nacional: Augusto Nunes (Veja). Ele questionou que se a Gleisi está disposta a tudo para melar a CPI da Petrobras, incluindo temas estranhos ao inquérito, por que não ampliar ainda mais as investigações e incluir o pedófilo que ela levou para a Casa Civil e encarregou de cuidar das políticas federais para menores?

*Ademar Traiano é deputado estadual pelo PSDB e líder do governo Beto Richa na Assembleia Legislativa. Ele escreve à s quartas-feiras sobre governo e parlamento.

Comentários encerrados.