Por Esmael Morais

Azar pouco é bobagem: Joaquim Barbosa deverá analisar denúncias contra Vargas

Publicado em 07/04/2014

Justiça Federal remeterá caso do deputado André Vargas (PT-PR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) em dez dias; ministro Joaquim Barbosa, presidente da Corte, deverá analisar o caso do petista que, na sessão solene de abertura dos trabalhos no Congresso Nacional, em fevereiro, o provocou fazendo o gesto de punho cerrado em solidariedade aos petistas José Genoino e José Dirceu presos desde 15 de novembro de 2013; juiz federal Sérgio Fernando Moro, nesta segunda-feira (7), em despacho assinalou que é prematura afirmação de relação de "natureza criminosa" entre Vargas e Youssef; leia o documento.

Justiça Federal remeterá caso do deputado André Vargas (PT-PR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) em dez dias; ministro Joaquim Barbosa, presidente da Corte, deverá analisar o caso do petista que, na sessão solene de abertura dos trabalhos no Congresso Nacional, em fevereiro, o provocou fazendo o gesto de punho cerrado em solidariedade aos petistas José Genoino e José Dirceu presos desde 15 de novembro de 2013; juiz federal Sérgio Fernando Moro, nesta segunda-feira (7), em despacho assinalou que é prematura afirmação de relação de “natureza criminosa” entre Vargas e Youssef; leia o documento.

O juiz federal Sérgio Fernando Moro, nesta segunda-feira (7), em despacho, advertiu que é prematura a afirmação de que a relação entre o doleiro Alberto Yousseff, preso na operação Lava Jato da Polícia Federal, e o deputado federal André Vargas (PT-PR) tenha natureza criminosa.

Para o magistrado é “prematura a afirmação de que tal relação teria natureza criminosa”. Moro declinou competência para analisar provas nas investigações contra o petista (clique aqui para ler fac-símile da remessa).

Em dez dias, o juiz encaminhará o processo contra Vargas ao Supremo Tribunal Federal (STF). O caso do vice-presidente licenciado da Câmara deverá ser analisado pelo presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa.

No início da tarde de hoje, o deputado se licenciou do cargo de vice e do mandato pelo período de 60 dias sem vencimentos. O parlamentar petista alegou motivos pessoais! para o afastamento (clique aqui).

Em fevereiro, durante sessão solene de abertura dos trabalhos no Congresso Nacional, Vargas provocou Barbosa fazendo o gesto de punho cerrado em solidariedade aos petistas José Genoino e José Dirceu presos desde 15 de novembro de 2013 por determinação do presidente do STF (clique aqui para relembrar).

Resumo da ópera: azar pouco é bobagem.