Putin desafia EUA e assina decreto iniciando anexação da Crimeia à  Rússia

Medida foi anunciada hoje após a realização, no domingo, de um referendo em que 97% dos eleitores da Crimeia declararam ser a favor de voltar para o domínio russo, depois de 60 anos como parte da Ucrânia; Putin também afirmou que o novo regime ucraniano abriu as portas para neonazistas; Estados Unidos e parte da Europa condenam procedimentos que levarão à  anexação do território à  Rússia.

Medida foi anunciada hoje após a realização, no domingo, de um referendo em que 97% dos eleitores da Crimeia declararam ser a favor de voltar para o domínio russo, depois de 60 anos como parte da Ucrânia; Putin também afirmou que o novo regime ucraniano abriu as portas para neonazistas; Estados Unidos e parte da Europa condenam procedimentos que levarão à  anexação do território à  Rússia.

MOSCOU, 18 Mar (Reuters), via 247 Em desafio aos protestos na Ucrânia e à s sanções do Ocidente, o presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira ao Parlamento que a Rússia vai seguir adiante com os procedimentos para anexar a região da Crimeia.

Putin assinou um decreto “para aprovar o projeto de tratado entre a Federação Russa e a República da Crimeia sobre a adoção da República da Crimeia pela Federação Russa”. O decreto indica que o presidente vai assinar um tratado com o líder crimeano apontado por Moscou, que está na capital russa para solicitar a incorporação, mas o documento não tem detalhes.

A medida foi anunciada após a realização, no domingo, de um referendo ao estilo soviético na Crimeia, que está sob ocupação militar russa, em que 97 por cento dos eleitores declararam ser a favor de voltar para o domínio russo, depois de 60 anos como parte da Ucrânia.

Ao seguir em frente com os passos para desmembrar a Ucrânia contra sua vontade, Putin elevou a tensão ainda mais na maior crise Leste-Oeste desde o fim da Guerra Fria.

Mas o primeiro-ministro interino da Ucrânia, Arseniy Yatseniuk, procurou tranquilizar Moscou em duas áreas principais de preocupação, dizendo em um discurso televisionado em russo que Kiev não está buscando aderir à  Otan, aliança militar liderada pelos Estados Unidos, e que vai agir para desarmar milícias nacionalistas ucranianas.

(Por Vladimir Soldatkin e Steve Guterman)

Leia ainda reportagem da Agência Reuters sobre declarações de Putin:

Putin condena novos líderes ucranianos, diz que abriram caminho para “neonazistas”

MOSCOU, 18 Mar (Reuters) – O presidente russo, Vladimir Putin, condenou as “chamadas” autoridades ucranianas nesta terça-feira, dizendo que elas tomaram o poder em um golpe e que abriram caminho para “extremistas”.

“Aqueles por trás dos eventos recentes, eles estavam… preparando um golpe de Estado, mais um. Eles estavam planejando tomar o poder. Terror, assassinatos, massacres foram usados”, disse Putin em sessão conjunta do Parlamento, em que chamou os novos líderes ucranianos de “nacionalistas, neonazistas, russófobos e antissemitas”.

“à‰ principalmente eles que estão decidindo como a Ucrânia vive hoje. As chamadas autoridades ucranianas introduziram uma lei escandalosa sobre a revisão da política de idiomas, o que violou diretamente os direitos das minorias nacionais.”

(Reportagem de Alexei Anishchuk)

14 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. No direito Internacional,onde não há policia,não há juiz,tudo e um jogo de interesse,onde estava U.S.A.,quando a Inglaterra invadiu as Ilhas Valvinas? Os USA,quer ser policia do mundo mas, não pode porque a Rússia, apesar de ter acordado um pouco tarde cedo se apercebeu do interesse do Ocidente,quanto a Europa deve lembra se da Gaz,da Rússia e,pensar num sistema alternativo de fornecimento de Gaz,e, e bom sempre ter cuidado com as brincadeiras de sansoes,porque as sansoes,são sempre dadas pelos mais forte e que pode activar todo o seu poderio militar,parem de brincadeiras porque nos em África,estamos cansados e cheio de Fome e com problemas serio de Saúde. Obrigado.

  2. até que enfím, um presidente de punho enfrentando os bam,bam,bam, que acham que podem mandar em tudo, que apoiaram a inglaterra quando tomaram as ilhas malvinas da argentina que pertencem a argentina, agora pra mim a
    crimeia pertence a russia, quero ver quem vai enfrentar Vladimir putin estou totalmente de acordo com ele é isso ai gostei kk.

  3. Ai ai e agora, será que o EUA com toda sua força militar vai tentar invadir a RUSSIA rs….o mundo é cheio de ironias.

  4. O referendo da Crimeia pode ser ilegal sob a ótica da constituição ucraniana. Contudo, é totalmente legítimo, pois representa o interesse do povo daquela região, e portanto, um princípio maior se sobrepõe às normas positivadas. Esse princípio é o da “autodeterminação dos povos”. Em nossa constituição (brasileira), o primeiro artigo diz que “Todo poder emana do povo, e em seu nome é exercido”. Portanto, o que se deve observar é que a constituição ucraniana se tornou um mero “pedaço de papel” para o povo da península crimeana, não representando mais os seus interesses. O contrato social foi quebrado e houve uma ruptura histórica. A postura dos líderes ocidentais é sofrível, pois parece que pouco entendem realmente de direito internacional. Por exemplo, a chanceler Angela Merkel usa de uma retórica desgastada, sempre repetindo o mesmo mantra (O referendo é ilegal… O referendo é ilegal. Claro que é! E daí?). Lamentavelmente, essa postura não está a altura do cargo que ela ocupa. Se a razão estivesse do lado dela, então deveríamos revogar também a Declaração de Independência dos Estados Unidos, a Declaração de Independência do Brasil, a abolição das monarquias na Europa, a Revolução Francesa, suprimindo todas as constituições ocidentais, pois todas elas foram “ilegais” do ponto de vista histórico em que ocorreram (A independência dos EUA provocou até uma guerra entre potenciais européias!!)
    Então para sermos totalmente “legalistas”, deveríamos reinstalar a Lei Romana onde ela vigorou um dia. Claro que isso é um absurdo. Mas é o duplo critério que se utiliza quando se tem interesses ocultos que não levam em conta o Princípio da Autodeterminação dos Povos. Só me resta crer em duas opções: Ou nossos líderes não estão intelectualmente à altura dos seus respectivos cargos (o que acho improvável) ou estão agindo de má fé. Sanções e ameaças militares são uma verdadeira imbecilidade, desculpe-me os termos. Uma opção “politicamente correta” e que demonstraria uma certa inteligência de nossos líderes poderia ser a seguinte: Será que agora o Sr. Putin iria tolerar um referendo para a independência da Chechênia e de outras regiões da Rússia, por exemplo?

  5. Depois do plebiscito ter o seu resultado anunciado,não se pode mais negar a legitimidade da intenção popular,o que resta saber neste momento é a influencia russa sobre a questão, e como isso definiu a opção pela anexação a Rússia. Se foi um processo seguro sem vícios externos não podemos afirmar, o que se sabe que a vontade do povo é se unir a Rússia e os favoráveis a Ucrânia é aceitar pacificamente o resultado, sem entrar no mérito armado e derramar sangue de inocente em vão. A melhor saída é uma negociação pacífica e um acordo para que todos sejam protegidos e respeitados. Já que o caminho a princípio está sendo democrático não poderemos considerar um conflito armado para resolver a questão após a opção popular, tem que ser respeitada e os insatisfeitos é a opção clássica. Ou se submetem a nova regra ou vão para a Ucrânia e recomeçam a sua vida. Guerra nunca!

  6. Já ví que ainda há que seja contra o voto da população, apesar dela ter escolhido seu futuro com mais de 97% dos votos.
    Assisto todos os jornais para ter noção do que cada emissora tem como compromisso.
    Ontem o Boechat fez uma colocação brilhante: Como os americanos reagiriam aos dois referendos que estão programados para os próximos meses – Escócia e o País Basco (Espanha – Barcelona…).
    Como os maiores assassinos do mundo vão reagir ?
    Dá-lhe Putin. Não se ajoelhe.

  7. Dá-lhe Putin. Manda estes iaques e os falidos europeus pro buraco. A decisão foi legitima e soberana da população da Criméia. Quem dera neste Brasil houvessem pessoas com o mesmo ideal e com coragem para fazer o mesmo – depois de tanta enganação e roubalheira (FGTS, Tabela do IR, Fator Previdenciário – tudo contra os trabalhadores) por parte do atual desgoverno, O SUL É O MEU PAÍS…
    Vamos nos separar dos inúteis, preguiçosos e parasitas de outras regiões que são comprados pelas Bolsas misérias distribuídas pelos traidores do atual governo.
    Putin, mostra pra esta cambada de fdp que a Rússia não é como outros países fracos que eles invadiram, distruíram e abandonaram.
    Pau neles Putin… Eles não são os donos do mundo.

  8. O mundo será mais feliz quando a Rússia e os Estados Unidos pararem com essa mania de querer tomar conta dele.

  9. parabéns Putin, peitou os “bam bam bans”

  10. Seria bem informativo se esse blog informasse, quais os países estão apoiando a Rússia nessa história???

    • O direito internacional apoia a decisão da população da Crimeia de se unir à Rússia. Resultado do plebiscito: 97% dos crimeus querem se un ir à Rússia! O mesmo acontece com as Ilhas Malvinas onde a decisão da população local optou pela Inglaterra e a ONU apoia por ser uma decisão de sua população! Entendeu porque não é uma questão de qual País apoia ou deixa de apoiar a Rússia (sic): o correto seria apoiar ou deixar de apoiar a Crimeia?! Entendeu ou isso é caviar para vossa mente e demais coxinhas que só pensam em uma passagem pra Disney!

      • O direito internacional?? A ONU está aprovando isso?? Representado por quem cara pálida??? Por vc?? Defensor de mafiosos e ditadores sanguinários…Estou vendo que países democráticos te incomodam. E pelo jeito o parque temático que vc admira é a ilha dos irmãos ditadores Castro.

      • Eh isso ai…de pleno acordo com sua resposta Henrique. Esse froid que nada explica…esse sim tem fobia com o terceiro mundo. Pra essa gente todo mundo menos os americanos são ditadores…vtnc froid