PSD cogita entregar todos os cargos no governo Beto Richa

Gleisi Hoffmann, a "loira má", segundo o Palácio Iguaçu, está cada vez mais perto de abocanhar o apoio do PSD; empresário Edenilso Rossi e o ex-deputado Pedro Guerra, pré-candidatos à  Câmara, por exemplo, defendem rompimento e entrega de cargos ocupados pela legenda ao governador Beto Richa; bilionário aposentado Joel Malucelli, que lê pesquisas de opinião, pediu "um tempo" para analisar a conjuntura política e decidir sobre sua candidatura ao governo; até o fiel! aliado Ney Leprevost coloca o tucano como última opção do partido.

Gleisi Hoffmann, a “loira má”, segundo o Palácio Iguaçu, está cada vez mais perto de abocanhar o apoio do PSD; empresário Edenilso Rossi e o ex-deputado Pedro Guerra, pré-candidatos à  Câmara, por exemplo, defendem rompimento e entrega de cargos ocupados pela legenda ao governador Beto Richa; bilionário aposentado Joel Malucelli, que lê pesquisas de opinião, pediu “um tempo” para analisar a conjuntura política e decidir sobre sua candidatura ao governo; até o fiel! aliado Ney Leprevost coloca o tucano como última opção do partido.

O Partido Social Democrático (PSD), seção Paraná, estuda entregar os cargos que têm no governo Beto Richa (PSDB). Os discípulos de Gilberto Kassab na terra das araucárias estão cada vez mais propensos a lançar candidato próprio ou apoiar a senadora Gleisi Hoffmann (PT) na disputa pelo Palácio Iguaçu.

Na semana que passou, a cúpula do PSD paranaense colocou o megaempresário Joel Malucelli contra a parede. Queria uma decisão sobre sua candidatura ao governo. O bilionário aposentado pediu mais um tempo para analisar a conjuntura política. Pretende ler várias pesquisas eleitorais antes de decidir.

No partido cresce o sentimento antitucano. O ex-deputado federal Pedro Guerra, que vai tentar a Câmara novamente, argumenta que o PSD já fechou nacionalmente com o PT, logo, no Paraná, a agremiação tem que marchar com Gleisi. Ele é filho do ex-ministro Alceni Guerra, da região de Pato Branco.

O empresário Edenilso Rossi, tesoureiro do PSD, também pré-candidato à  Câmara, é um dos mais aguerridos defensores do rompimento com Richa. “Gleisi tem se mostrado sensível aos anseios dos candidatos aos cargos legislativos e também tem se mostrado em sintonia com as demandas da população paranaense, ao contrário do governador Beto Richa”, comparou.

O deputado Ney Leprevost, na mesma reunião do PSD, se manifestou pela candidatura própria ao governo. Ele lembrou que, caso Joel Malucelli desista da empreitada, o partido tem o ex-ministro Alceni Guerra e o deputado federal Eduardo Sciarra como opções.

O quadro configura um PSD rachado. Caso nenhum desses nomes se viabilize, Leprevost defende o apoio à  reeleição de Richa. Ou seja, o tucano é a última opção até mesmo para quem é tido como “aliado” de primeira hora.

Comentários encerrados.