Professores entram em greve dia 23 de abril; assista ao vídeo

Assembleia com mil educadores neste sábado (29), em Curitiba, atropelou a direção da APP-Sindicato ao aprovar greve por tempo indeterminado nas 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná a partir do dia 23 de abril; proposta da presidente da entidade, Marlei Fernandes, foi rejeitada pela base; assista ao vídeo.

Assembleia com mil educadores neste sábado (29), em Curitiba, atropelou a direção da APP-Sindicato ao aprovar greve por tempo indeterminado nas 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná a partir do dia 23 de abril; proposta da presidente da entidade, Marlei Fernandes, foi rejeitada pela base; assista ao vídeo.

Cerca de mil educadores que participaram de uma assembleia da APP-Sindicato, em Curitiba, neste sábado, dia 29 de março, aprovaram greve por tempo indeterminado nas 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná a partir de 23 de abril.

Desde ontem, houve vários embates dentro da diretoria do sindicato — o que expõe a fratura no período pré-eleitoral na entidade que congrega cerca de 100 mil profissionais do magistério. Em setembro, a APP-Sindicato realiza eleição para renovar sua diretoria.

Na assembleia, a proposta de greve no dia 23 de abril foi defendida pelo secretário de Comunicação do sindicato, Professor Paixão, que levou a melhor na votação por 472 votos a 412. A presidenta da APP, Marlei Fernandes, foi a grande derrotada na reunião de hoje.

Na tarde de ontem, a direção da APP-Sindicato fez aprovar em seu Conselho Estadual o indicativo de greve para 6 de maio. No entanto, na assembleia, a base rechaçou a proposta, bem como greve de advertência nos dias 4 e 5 de abril.

Marlei então propunha que a greve começasse a partir de 28 de abril. Paixão defendeu 23 de abril.

A base presente na assembleia deste sábado rejeitou a continuidade da “política do cafezinho” porque não aguenta mais o odor exalado dos gabinetes e palácios. Professores e funcionários de escolas clamam por conquistas reais, condenam a complacência e a enrolação.

Vencida essa etapa, onde os derrotados lambem as feridas e os vitoriosos se jubilam, aproxima-se nova batalha: pela direção do movimento grevista.

Assista ao vídeo com a proposta derrotada:

Comentários encerrados.