Por 2014, PMDB trabalha chapa com Requião, Sérgio Souza e Pessuti

Bombeiros e alquimistas trabalham arduamente para 'pacificar' o PMDB do Paraná, cuja única certeza de todas as correntes internas é de que haverá candidatura própria; fórmula prevê Requião na cabeça, Sérgio Souza na vice e Pessuti, "avulso", concorrendo ao Senado; segundo o decano Waldyr Pugliesi, em política até vaca voa"; concertação peemedebista confirma previsão antecipada do deputado Anibelinho que mês passado cravou essa: em junho a bancada cospe o bagaço!.

Bombeiros e alquimistas trabalham arduamente para ‘pacificar’ o PMDB do Paraná, cuja única certeza de todas as correntes internas é de que haverá candidatura própria; fórmula prevê Requião na cabeça, Sérgio Souza na vice e Pessuti, “avulso”, concorrendo ao Senado; segundo o decano Waldyr Pugliesi, em política até vaca voa”; concertação peemedebista confirma previsão antecipada do deputado Anibelinho que mês passado cravou essa: em junho a bancada cospe o bagaço!.

“Em política até vaca voa”. Esta é uma máxima que o deputado estadual Waldyr Pugliesi sempre gosta de repetir. Tem razão o decano, ex-presidente do PMDB do Paraná.

“Bombeiros” trabalham nos bastidores uma fórmula para pacificar o PMDB. A ideia consistiria na formação da chapa majoritária liderada pelo senador Roberto Requião disputando o Palácio Iguaçu; o ex-senador Sérgio Souza na vice; e o ex-governador Orlando Pessuti concorreria “avulso” ao Senado.

Pessutão não seria obrigado a subir no palanque do desafeto Requião. Pela fórmula apresentada pelos alquimistas do PMDB, ele ficaria livre para “pular a cerca” em direção à  senadora Gleisi Hoffmann (PT).

Na Assembleia Legislativa, a bancada peemedebista “relaxou e gozou” acerca da candidatura própria ao governo do estado. Nenhum dos 13 parlamentares agora faz defesa veemente da coligação com o governador Beto Richa (PSDB), o que confirma com antecedência a “profecia” do deputado Anibelli Neto, o Anibelinho: “em junho a bancada cospe o bagaço”.

Comentários encerrados.