Gustavo Fruet ‘judicializa’ greve e revolta educadores em Curitiba

Publicado em 19 março, 2014
Compartilhe agora!

Clima segue muito tenso em frente à  Prefeitura de Curitiba, no Centro Cívico, depois que a Justiça declarou ilegal a greve dos educadores municipais; multa diária de R$ 80 mil ao Sismuc, caso a decisão seja descumprida; manifestantes estão revoltados com Fruet, que judicializou o movimento de reivindicação.
Clima segue muito tenso em frente à  Prefeitura de Curitiba, no Centro Cívico, depois que a Justiça declarou ilegal a greve dos educadores municipais; multa diária de R$ 80 mil ao Sismuc, caso a decisão seja descumprida; manifestantes estão revoltados com Fruet, que judicializou o movimento de reivindicação.
O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), resolveu judicializar a greve dos educadores dos CMEIs (Centros Municipais de Educação Infantil). A pedido da Prefeitura, o juiz de segundo grau de plantão Jefferson Johnson, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) declarou ilegal a greve dos trabalhadores nas creches. A multa diária para o descumprimento da decisão é de R$ 80 mil.

A situação é tensa em frente ao Palácio 29 de Março, sede do governo municipal, no bairro Centro Cívico. Uma nova rodada de negociação entre Prefeitura e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) teve início à s 14h30.

Pela Fanpage deste blog no Facebook, o leitor pode acompanhar online toda a movimentação. Basta curtir a página para receber as atualizações das notícias gratuitamente.

Compartilhe agora!

Comments are closed.