Por Esmael Morais

Com PSB de Eduardo Campos, oposição no Senado tem as 27 assinaturas para CPI da Petrobras

Publicado em 26/03/2014

Além de investigar a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), pela estatal, a CPI tem o objetivo de apurar superfaturamento em refinarias, irregularidades em plataformas, além da suspeita de que a empresa holandesa SBM Offshore, que aluga plataformas a companhias de petróleo, pagou suborno a empresas em vários países, incluindo o Brasil.

Além do PSB, três senadores governistas assinaram o pedido de criação da CPI: Clésio Andrade (PMDB-MG), Eduardo Amorim (PSC-SE) e Sérgio Petecão (PSD-AC). Os “independentes” de partidos aliados do governo !“como Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Pedro Taques (PDT-MT), Ana Amélia Lemos (PP-RS), Pedro Simon (PMDB-RS) e Cristovam Buarque (PDT-DF)!“também reforçaram o pedido.

O PSB decidiu apoiar a comissão de inquérito para dar viabilidade à  candidatura de Campos à  Presidência da República, já que a comissão foi idealizada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), também pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto. Já os governistas que assinaram o pedido, com exceção dos “independentes”, querem retaliar o governo por problemas em suas bases eleitorais.

A oposição promete protocolar ainda nesta quarta-feira o pedido de criação de CPI no Senado, mas vai continuar a coleta de assinaturas na Câmara para a comissão mista (com deputados e senadores). Se os deputados conseguirem as 171 assinaturas necessárias para ela ser criada na Câmara, o PSDB vai retirar o pedido apenas do Senado para que as investigações ocorram nas duas Casas conjuntamente.

Abaixo matéria da Agência Senado com justificativa do PSB para aderir à  CPI:

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) explicou nesta quarta-feira (26) a posição de seu partido a favor da instalação de uma CPI para investigar irregularidades na Petrobras. Ele protestou contra a desvalorização da empresa e a partidarização de sua administração, opinando que transações como a compra da refinaria de Pasadena requerem uma investigação “séria, serena e responsável”.

– O maior serviço que o Brasil pode prestar à  Petrobras neste momento é jogar luzes sobre ela, é dar transparência total a todos os processos existentes da gestão da Petrobras – afirmou.

Rollemberg também espera que o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e a presidente da Petrobras, Graça Foster, atendam aos convites para prestar esclarecimentos ao Senado, mas criticou a “falta de pressa” do governo em esclarecer os episódios.

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE), contestou Rollemberg, argumentando que o PSB teria se “precipitado” ao dar apoio à  CPI antes que o Senado ouça Edison Lobão e Graça Foster. Segundo ele, a CPI tornou-se um instrumento “desqualificado” de investigação.

– Manifesto meu receio de que nós venhamos a ter agora uma CPI que reproduza os pífios resultados que produziu a CPI do Cachoeira – declarou.