Coluna do Ademar Traiano: “Gleisi é representante do PT e não do Paraná que ela persegue”

"Na Casa Civil o grande feito de Gleisi foi a perseguição sem trégua contra o Paraná". Este é um trecho da coluna do deputado Ademar Traiano, líder do governo Richa e ideólogo do Palácio Iguaçu; nesta quarta, o tucano relata as maldades! que estariam sendo cometidas pela senadora do PT contra o estado; ele destaca o empréstimo do Proinveste (R$ 817 milhões) travado pela petista em Brasília, ao mesmo tempo em que ela teria dado ajuda ao Paraguai, por meio do Tratado de Itaipu, além de jogar contra os agricultores para delimitar as áreas que serão restituídas aos índios! na região de Terra Roxa; ao final, em resposta ao secretário de Governo Municipal de Curitiba, Ricardo Mac Donald, que semana passa propôs a ele um teste da farinha!, o parlamentar do PSDB diz que não vai baixar o nível em linguagem de botequim: As respostas a esse assessor serão dadas pela via judicial!, avisa; leia o texto.
“Na Casa Civil o grande feito de Gleisi foi a perseguição sem trégua contra o Paraná”. Este é um trecho da coluna do deputado Ademar Traiano, líder do governo Richa e ideólogo do Palácio Iguaçu; nesta quarta, o tucano relata as maldades! que estariam sendo cometidas pela senadora do PT contra o estado; ele destaca o empréstimo do Proinveste (R$ 817 milhões) travado pela petista em Brasília, ao mesmo tempo em que ela teria dado ajuda ao Paraguai, por meio do Tratado de Itaipu, além de jogar contra os agricultores para delimitar as áreas que serão restituídas aos índios! na região de Terra Roxa; ao final, em resposta ao secretário de Governo Municipal de Curitiba, Ricardo Mac Donald, que semana passa propôs a ele um teste da farinha!, o parlamentar do PSDB diz que não vai baixar o nível em linguagem de botequim: As respostas a esse assessor serão dadas pela via judicial!, avisa; leia o texto.
Ademar Traiano*

Gleisi Hoffmann se elegeu senadora pelo Paraná em 2010, mas jamais agiu como representante dos paranaenses. Como senadora, como ministra, e novamente senadora, age exclusivamente como representante do PT, de sua ideologia e de seus projetos.

Gleisi jamais defendeu os interesses do Paraná no Senado ou na Casa Civil. Ao contrário, prejudicou, perseguiu e persegue o estado que a elegeu. Nunca levou em conta os interesses paranaenses ou a opinião dos seus eleitores. A lista é longa. Vou citar alguns exemplos.

Em 2011, seguindo estratégia do PT de dar apoio financeiro a governos esquerdistas (o Paraguai era presidido pelo bispo Fernando Lugo), o Brasil renegociou o Tratado de Itaipu. Gleisi foi responsável pela aprovação no Senado da renegociação. O custo da energia elétrica importado pelo Brasil triplicou. Saltou de US$ 120 milhões para US$ 360 milhões anuais. A conta foi paga pelos brasileiros.

O dinheiro foi para o Paraguai sem nada em troca. Sequer se exigiu que o bispo Lugo colocasse um freio nas agressões que sofrem os 300 mil ‘brasiguaios’ (brasileiros que vivem no Paraguai e transformaram o país em dos maiores exportadores mundiais de soja) nas mãos dos sem-terra paraguaios. Grande parte dos “brasiguaios” são paranaenses.

Na Casa Civil o grande feito de Gleisi foi a perseguição sem trégua contra o Paraná. Seguia uma estratégia de enfraquecer o estado imaginando que ficará mais fácil para o PT ganhar as eleições aqui. O caso mais flagrante e descarado foi o do Proinveste. Empréstimo que o governo federal liberou para todos os estados, menos para o Paraná. A Casa Civil, que era chefiada por Gleisi, bloqueou o dinheiro.

Sempre na contramão do que pensam seus eleitores, Gleisi atacou, dias atrás, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, para defender os mensaleiros. A ação de Barbosa é aprovada por 86% dos paranaenses. O que pensa o paranaense não interessa a Gleisi. O que conta é o PT.

Outro caso: nada menos que 93% dos paranaenses querem a redução da maioridade penal. Gleisi liderou a bancada governista (o PT e aliados) na derrubada do projeto que reduzia a maioridade de 18 para 16 anos para crimes hediondos cometidos por menores.

A indiferença de Gleisi com o Paraná aparece em uma denúncia, feita por agricultores da região de Guaíra. Eles estão ameaçados pela demarcação de terras pela Funai. Podem ser expulsos de suas propriedades para entregá-las a índios!, a maioria vem do Paraguai.

Agricultor Silvanir Rosset, presidente do Sindicato Rural de Guaíra, denuncia Gleisi. Na Casa Civil ela garantiu, em audiência pública, que o Paraná estaria livre da sanha da Funai. Agora uma portaria oficial revela que a Funai constituiu um grupo para delimitar as áreas que serão restituídas aos índios! na região de Terra Roxa. Dezoito proprietários podem perder suas terras.

A política indígena do petismo é profundamente injusta com o cidadão de bem pagador de impostos, gerador de riquezas, que se torna vítima de ideologias equivocadas, de ONGs, de missionários estrangeiros e representantes do PT. Representantes como Gleisi, que mais uma vez vira as costas para o seu estado e seus eleitores.

Resposta !“ Ricardo Mac Donald, assessor do prefeito de Curitiba, usa sua coluna neste blog para ataques pessoais, em linguagem de botequim. Não usarei esse espaço para responder a agressões desse nível. As respostas a esse assessor serão dadas pela via judicial.

*Ademar Traiano é deputado estadual pelo PSDB e líder do governo Beto Richa na Assembleia Legislativa. Ele escreve à s quartas-feiras sobre governo e parlamento.

Comments are closed.