“Alforriado” por Lula, agora Requião prega distância do PT

Publicado em 22 março, 2014
Compartilhe agora!

Roberto Requião parece que encontrou uma zona de conforto! em relação à  disputa presidencial de outubro; alforriado! pelo ex-presidente Lula, que se diz arrependido pelos apoios que deu ao peemedebista em eleições passadas, o senador agora prega distância do PT em outubro e pode ficar com palanque "avulso" na corrida presidencial, ou seja, não apoiará ninguém e ainda, confortavelmente, se posicionará como franco-atirador; durante périplo pelas cidades de Foz do Iguaçu e Cascavel, neste final de semana, o pré-candidato do PMDB ao Palácio Iguaçu não deu refresco nem para Gleisi nem para Richa; ele acusou a senadora petista de cometer infidelidade! com Dilma em 2010 e disse que o governador tucano gosta de fazer festa em Foz e dos cassinos no Paraguai e Argentina!.
Roberto Requião parece que encontrou uma zona de conforto! em relação à  disputa presidencial de outubro; alforriado! pelo ex-presidente Lula, que se diz arrependido pelos apoios que deu ao peemedebista em eleições passadas, o senador agora prega distância do PT em outubro e pode ficar com palanque “avulso” na corrida presidencial, ou seja, não apoiará ninguém e ainda, confortavelmente, se posicionará como franco-atirador; durante périplo pelas cidades de Foz do Iguaçu e Cascavel, neste final de semana, o pré-candidato do PMDB ao Palácio Iguaçu não deu refresco nem para Gleisi nem para Richa; ele acusou a senadora petista de cometer infidelidade! com Dilma em 2010 e disse que o governador tucano gosta de fazer festa em Foz e dos cassinos no Paraguai e Argentina!.
No último dia 15 de março, durante encontro estadual do PT em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostrou-se arrependido por apoiado o senador Roberto Requião (PMDB) em várias disputas pelo governo do Paraná. Ele se referia especificamente a 2006, quando afirmou que deveria ter apoiado o então senador Osmar Dias (PDT) para o Palácio Iguaçu.

Requião ficou magoado com o ex-presidente petista. Lula foi extremamente ingrato!, desabafou o senador do PMDB. “Fiquei profundamente magoado porque eu o apoiei em cinco eleições presidenciais!, completou.

Na prática, o discurso de Lula serviu como uma “carta de alforria” para Requião que agora descarta completamente qualquer entendimento com o PT de Gleisi Hoffmann e Dilma Rousseff. O peemedebista pode ficar com palanque “avulso” na corrida presidencial. Ou seja, não apoia ninguém e ainda, confortavelmente, posiciona-se como franco-atirador.

Na região Oeste, onde participa da caravana peemedebista “Volta, Requião”, o senador além de defender a candidatura própria ressalta que quer distância do PT nas eleições de outubro. Para ele, a aliança entre peemedebistas e petistas não se sustenta mais por causa do comportamento fisiológico de ambas as partes.

Em entrevista ao jornal Gazeta do Iguaçu, a Gazetinha, Requião acusou Gleisi de ter sido “infiel” à  candidatura de Dilma em 2014. Segundo ele, a senadora fez “dobradinha” com os tucanos José Serra e Beto Richa. “Dilma fez 2 milhões de votos e, na mesma eleição, Gleisi fez 3,3 milhões de votos”, atacou.

Na mesma entrevista ao diário iguaçuense, o senador também não perdoou o governador Beto Richa (PSDB): “Ele é um hedonista, vive pelo prazer. A presença do Beto em Foz do Iguaçu é muito forte, mas não em obras”, fuzilou.

Mais cedo a uma emissora de rádio da cidade, Requião bateu duro no tucano ao dizer que o governador gosta de fazer festa em Foz e dos cassinos no Paraguai e Argentina.

Na manhã deste sábado, Requião e comitiva “venderam o peixe” da candidatura própria para correligionários de Cascavel.

Compartilhe agora!

Comments are closed.