Guerra da catraca: Fruet enfrentará greve no transporte coletivo de Curitiba na semana que vem

Empresários do setor de transporte, cujo faturamento anual supera os R$ 100 milhões, propõem aumento na tarifa de ônibus, que pode subir de R$ 2,70 para R$ 2,80 durante o feriadão de Carnaval; Fruet identificou repasse de R$ 600 mil mensais ao Sindimoc que, de acordo com sua equipe técnica, podem ser cortados da planilha visando baixar a tarifa, conforme determinação do Tribunal de Contas do Estado; nessa guerra das catracas é o povão, que no final, levará mais uma catracada !“ sem dó nem piedade; a máfia do transporte continua numa boa, enchendo as burras como nunca.

Empresários do setor de transporte, cujo faturamento anual supera os R$ 100 milhões, propõem aumento na tarifa de ônibus, que pode subir de R$ 2,70 para R$ 2,80 durante o feriadão de Carnaval; Fruet identificou repasse de R$ 600 mil mensais ao Sindimoc que, de acordo com sua equipe técnica, podem ser cortados da planilha visando baixar a tarifa, conforme determinação do Tribunal de Contas do Estado; nessa guerra das catracas é o povão, que no final, levará mais uma catracada !“ sem dó nem piedade; a máfia do transporte continua numa boa, enchendo as burras como nunca.

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), poderá enfrentar a primeira greve de motoristas e cobradores a partir de segunda-feira (24).

Os trabalhadores não chegaram a acordo depois de reunião na Superintendência Regional do Trabalho com Urbs, Comec e empresários. Por isso, segundo o Sindimoc, que representa 12 mil funcionários, haverá greve geral na semana que vem.

Para apimentar a discussão, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) mandou a Prefeitura de Curitiba reduzir o preço da tarifa técnica em 43 centavos. Com a lupa na mão, Fruet identificou repasse de R$ 600 mil mensais ao Sindimoc que, de acordo com sua equipe técnica, podem ser cortados da planilha visando baixar a tarifa do ônibus.

Até agora, nem sindicato nem Urbs/Prefeitura, falaram em cortar na carne dos tubarões do transporte. Eles parecem intocáveis até mesmo perante a Justiça. Ninguém ousa tirar um tostão dos felizes empresários da catraca.

Na verdade, durante o Carnaval, a tendência é que o povão leve a catracada. Ou seja, pagará a conta de novo reajuste no preço da passagem do ônibus. Fala-se que subirá de R$ 2,70 para R$ 2,80.

Comentários encerrados.