Por Esmael Morais

Coluna do Ademar Traiano: “A alma dolorida e a cara de pau da petista Gleisi Hoffmann”

Publicado em 12/02/2014

Ademar Traiano, em sua coluna desta semana, afirma que o comportamento de Gleisi Hoffmann é patológico quando ela diz que "dói minha alma" as dificuldades financeiras do Paraná; segundo o colunista, a petista é a principal responsável pelo travamento de empréstimos e perseguição política ao estado; para ele, trata-se atitude cínica e descomunal cara de pau!; "... até as cobras que rastejam pelo Parque Nacional do Iguaçu sabem que os problemas do estado decorrem da perseguição implacável movida pela própria Gleisi e pelos ministros petistas paranaenses", repete o ideólogo de Beto Richa; o líder do governo na Assembleia também destaca o "surto raivoso" da senadora contra Eduardo Campos, a quem ela classificou de oportunista, hipócrita e ingrato! pelo fato de o governador pernambucano não ser submisso ao governo federal; "Os paranaenses devem avaliar se Gleisi tem credenciais para pleitear o governo do Paraná, depois de passar três anos empenhada, dia e noite, em causar prejuízos ao nosso estado", prega o tucano.

Ademar Traiano, em sua coluna desta semana, afirma que o comportamento de Gleisi Hoffmann é patológico quando ela diz que “dói minha alma” as dificuldades financeiras do Paraná; segundo o colunista, a petista é a principal responsável pelo travamento de empréstimos e perseguição política ao estado; para ele, trata-se atitude cínica e descomunal cara de pau!; “… até as cobras que rastejam pelo Parque Nacional do Iguaçu sabem que os problemas do estado decorrem da perseguição implacável movida pela própria Gleisi e pelos ministros petistas paranaenses”, repete o ideólogo de Beto Richa; o líder do governo na Assembleia também destaca o “surto raivoso” da senadora contra Eduardo Campos, a quem ela classificou de oportunista, hipócrita e ingrato! pelo fato de o governador pernambucano não ser submisso ao governo federal; “Os paranaenses devem avaliar se Gleisi tem credenciais para pleitear o governo do Paraná, depois de passar três anos empenhada, dia e noite, em causar prejuízos ao nosso estado”, prega o tucano.

Ademar Traiano*

Quem pensa que a atitude cínica e a descomunal cara de pau demonstrada pelos mensaleiros !“ que condenados por crimes de lavagem de dinheiro, peculato e corrupção ativa e passiva – se dizem presos políticos!, representa um ponto fora da curva do PT está redondamente enganado.

Inúmeros episódios envolvendo petistas mostram que esse é um padrão de conduta. Políticos do PT têm conhecido desprezo pelos fatos. Um exemplo gritante é a atitude da senadora Gleisi Hoffmann. Como todos sabem, como ministra da Casa Civil ela provocou imensos prejuízos ao Paraná, agora percorre o estado lamentando esses problemas.

Não contente com isso, Gleisi afirmou que as dificuldades financeiras vividas pelo Paraná a afligem muito. Dói minha alma!, disse ao passar pelo Show Rural em Cascavel. Mas até as cobras que rastejam pelo Parque Nacional do Iguaçu sabem que os problemas do estado decorrem da perseguição implacável movida pela própria Gleisi e pelos ministros petistas paranaenses.

Nos últimos três anos, obedecendo a uma estratégia, executada com a frieza e deliberação – uma aposta que criar problemas ao Paraná facilita a tomada do poder do PT no estado – os ministros paranaenses bloquearam empréstimos, excluíram o estado de projetos federais e negaram até audiências do governador do Paraná com a presidente.

Não dá para negar. A ação de sabotagem sorrateira contra o estado foi eficiente. A prova é que o Paraná é o único estado que não recebeu o Proinveste (R$ 817 milhões). O problema é que, Gleisi foi desmascarada. Os paranaenses já sabem o que ela faz. Os brasileiros começam a descobrir.

Na volta ao Senado, Gleisi fez discurso raivoso contra o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que teve a ousadia de se lançar candidato a presidente. Disse que Campos – que recebeu recursos federais – foi oportunista, hipócrita e ingrato!. Ou seja, por receber o que era seu direito, deveria ser grato, alinhado e submisso.

O surto de Gleisi foi analisado por Demétrio Magnoli, jornalista, sociólogo e geógrafo que avaliou a fala da senadora como mais uma evidência da falência do pacto federativo no Brasil. O poder discricionário quase absoluto do governo central sobre tributos arrecadados em todo o país funciona como instrumento de chantagem e cooptação”, disse Magnoli.

E concluiu: “Gleisi Hoffmann acusou Eduardo Campos de nada menos que “ingratidão”. Nas suas palavras deploráveis, dignas de uma monarquia, encontra-se a melhor justificativa para a reorganização do pacto federativo!.

O deputado gaúcho Beto Albuquerque foi mais direto, lembrou a incompetência que marcou a passagem de Gleisi pela Casa Civil para fulminar: Gleisi é a ministra que ajudou o país a parar. Não tem credenciais para atacar o governador!.

Os paranaenses devem avaliar se Gleisi tem credenciais para pleitear o governo do Paraná, depois de passar três anos empenhada, dia e noite, em causar prejuízos ao nosso estado.

*Ademar Traiano é deputado estadual pelo PSDB e líder do governo Beto Richa na Assembleia Legislativa. Ele escreve à s quartas-feiras sobre governo e parlamento.