Por Esmael Morais

Barbosa: Lewandowski fez “populismo judiciário” ao ajudar advogada cega

Publicado em 11/02/2014

A situação de Deborah, no entanto, foi corrigida por uma liminar do ministro Ricardo Lewandowski, então presidente interino do STF, que lhe garantiu o direito de voltar a peticionar por escrito. Lewandowski decidiu determinar ao CNJ que assegure à  impetrante o direito de peticionar fisicamente em todos os órgãos do Poder Judiciário, a exemplo do que ocorre com os habeas corpus, até que o processo judicial eletrônico seja desenvolvido de acordo com os padrões internacionais de acessibilidade, sem prejuízo de melhor exame da questão pelo relator sorteado!. (Leia matéria da Folha de S. Paulo sobre o assunto).