Assembleia Legislativa do Paraná aprova ‘minuto de silêncio’ pró-golpe contra presidente Nicolás Maduro

Deputado Stephanes Júnior, presidente do PMDB de Curitiba, nesta quarta (26), deu drible na oposição ao aprovar 'minuto de silêncio' na Assembleia Legislativa do Paraná pró-golpe de Estado contra presidente da Venezuela Nicolás Maduro; em 2007, parlamentar considerado ultradireita, aliado de Richa, também apoiou moção declarando o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez como persona non grata no estado; flerte do legislativo do Paraná com golpistas fascistas envergonha os verdadeiros democratas; líder da revolução bolivariana morto há um ano esteve na capital paranaense a convite do então governador Roberto Requião, em 2006.

Deputado Stephanes Júnior, presidente do PMDB de Curitiba, nesta quarta (26), deu drible na oposição ao aprovar ‘minuto de silêncio’ na Assembleia Legislativa do Paraná pró-golpe de Estado contra presidente da Venezuela Nicolás Maduro; em 2007, parlamentar considerado ultradireita, aliado de Richa, também apoiou moção declarando o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez como persona non grata no estado; flerte do legislativo do Paraná com golpistas fascistas envergonha os verdadeiros democratas; líder da revolução bolivariana morto há um ano esteve na capital paranaense a convite do então governador Roberto Requião, em 2006.

O deputado Reinold Stephanes Júnior, eleito no último domingo (23) como presidente do PMDB de Curitiba, surpreendeu na tarde desta quarta (26) ao propor na sessão da Assembleia Legislativa do Paraná um minuto de silêncio em homenagem à s vítimas de Nicolás Maduro na Venezuela.

Considerado ultradireita, o parlamentar também votou a favor de outra polêmica proposição de 2007, de autoria do colega Ney Leprevost (PP), que declarou o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez como persona non grata no Paraná. Os dois moços são da tropa de choque do governador Beto Richa (PSDB).

Júnior, filho do ex-ministro da Agricultura Reinold Stephanes (PSD), é favorável ao golpe de Estado na vizinha Venezuela. Na prática, ao aprovar o ‘minuto de silêncio’, a Assembleia Legislativa do Paraná compactua com o golpismo e flerta com o fascismo.

O legislativo paranaense é presidido pelo deputado Valdir Rossoni (PSDB). A decisão de hoje, mais uma vez, envergonha os verdadeiros democratas do país e do mundo.

Comentários encerrados.