7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
11 Comentários

Deputado João Paulo Cunha renuncia ao mandato

do Brasil 247
O petista João Paulo Cunha (PT) decidiu renunciar ao mandato de deputado federal. Pedido foi protocolado na Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara na noite desta sexta-feira (7). Condenado na Ação Penal 470 e preso no Complexo Penitenciário da Papuda, Cunha enviou uma carta à  Câmara pedindo para deixar o cargo.

“à‰ com a consciência do dever cumprido e baseado nos preceitos da Constituição Federal e no Regimento Interno da Câmara dos Deputados que eu renuncio ao meu mandato de Deputado Federal”, diz a carta protocolada à s 20h21 na Secretaria-Geral da Mesa.

Nesta quinta, João Paulo, que está preso no regime semiaberto, chegou a pedir autorização na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal (VEP) para sair do presídio durante o dia para trabalhar na Câmara dos Deputados como parlamentar.

Ele se entregou na terça-feira (4) após o mandado de prisão ser expedido por ordem do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa.

Abaixo a nota do líder do bancada do PT:

O deputado João Paulo Cunha !“ PT/SP apresentou nesta data, junto à  Mesa Diretora da Câmara, sua carta de renúncia ao mandato.

A bancada do Partido dos Trabalhadores manifesta seu profundo respeito e solidariedade à  decisão e reafirma a certeza da inocência do companheiro.

Reiteramos ainda que João Paulo terá o nosso apoio em todas as iniciativas que vier a tomar para demonstrar os equívocos, erros e omissões que permearam seu julgamento no âmbito da Ação Penal 470.

Deputado Vicentinho !“ PT/SP
Líder da Bancada na Câmara

Leia, abaixo, reportagem da Agência Brasil:
Mariana Jungmann !“ Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco

O deputado João Paulo Cunha (PT-SP) encaminhou hoje (7) sua carta de renúncia ao secretário-geral da Câmara dos Deputados, Mozart Paiva. O documento foi entregue pelo advogado de João Paulo, Luiz Eduardo Yukio Egami, à s 20h21, na Secretaria-Geral da Casa.

à‰ com a consciência do dever cumprido e baseado nos preceitos da Constituição Federal e no Regimento Interno da Câmara dos Deputados, que eu renuncio ao meu mandato de deputado federal!, diz o breve texto assinado por João Paulo.

Além disso, o documento traz uma pequena citação do escritor e jornalista cubanoLeonardo Padura, que diz: … pois a dor e a miséria figuram entre aquelas poucas coisas que, quando repartidas, tornam-se semp Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
40 Comentários

Gleisi: “empréstimos não são liberados por falta de responsabilidade de Richa”

Gleisi Hoffmann, pré-candidata do PT ao Palácio Iguaçu, nesta sexta-feira (7), em Irati, acusou o governador do estado de quebrar o Paraná; segundo ela, "os empréstimos não são liberados por falta de responsabilidade de Beto Richa"; município da região Sul, a 153 km de Curitiba, se transformou hoje na Capital da Oposição!, pois lá também se encontra o senador Roberto Requião, que se reúne com correligionários do PMDB.

Gleisi Hoffmann, pré-candidata do PT ao Palácio Iguaçu, nesta sexta-feira (7), em Irati, acusou o governador do estado de quebrar o Paraná; segundo ela, “os empréstimos não são liberados por falta de responsabilidade de Beto Richa”; município da região Sul, a 153 km de Curitiba, se transformou hoje na Capital da Oposição!, pois lá também se encontra o senador Roberto Requião, que se reúne com correligionários do PMDB.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) disse nesta sexta-feira (7), em Irati, região Sul, durante coletiva à  imprensa, que os empréstimos não são liberados ao Paraná por falta de responsabilidade do governador Beto Richa (PSDB). ... 

Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
43 Comentários

Azedou o cafezinho: Educadores prometem “arrepiar” governo Richa

Professor Paixão, da APP-Sindicato, denuncia terrorismo e ilegalidade cometidos pelos tucanos Arns e Richa, que descumprem a Lei Nacional do Piso; entidade do magistério reclama implantação de 33% da hora-atividade e pagamento de R$ 100 milhões atrasados relativos a avanços e promoções da categoria; cansados de tanto calote do governo do PSDB, educadores afirmam que vão abandonar a política do cafezinho para implantar, na marra, a hora-atividade nos dias 11, 19, 27 de fevereiro e 07 de março; portanto, o ano letivo no Paraná começará em clima de guerra.

Professor Paixão, da APP-Sindicato, denuncia terrorismo e ilegalidade cometidos pelos tucanos Arns e Richa, que descumprem a Lei Nacional do Piso; entidade do magistério reclama implantação de 33% da hora-atividade e pagamento de R$ 100 milhões atrasados relativos a avanços e promoções da categoria; cansados de tanto calote do governo do PSDB, educadores afirmam que vão abandonar a política do cafezinho para implantar, na marra, a hora-atividade nos dias 11, 19, 27 de fevereiro e 07 de março; portanto, o ano letivo no Paraná começará em clima de guerra.

A APP-Sindicato (Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Paraná), entidade que representa cerca de 100 mil professores e educadores de 2,1 mil escolas no estado, por meio de nota, em seu site, acusa o governo Beto Richa de promover terrorismo contra a categoria.  ... 

Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
29 Comentários

Procurador-geral propõe 22 anos de xilindró para Azeredo, mentor do mensalão tucano

O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou hoje ao STF as razões para o pedido de 22 anos de prisão ao ex-presidente nacional do PSDB, deputado mineiro Eduardo Azeredo, por comandar o mensalão tucano; ele é acusado pelo procurador-geral de cometer crimes de peculato e lavagem de dinheiro, além de "subverter" o sistema político-eleitoral brasileiro em associação ao publicitário Marcos Valério; segundo o promotor, o mensalão do PSDB, em 1998, foi "a origem e o laboratório dos fatos" do mensalão do PT.

O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou hoje ao STF as razões para o pedido de 22 anos de prisão ao ex-presidente nacional do PSDB, deputado mineiro Eduardo Azeredo, por comandar o mensalão tucano; ele é acusado pelo procurador-geral de cometer crimes de peculato e lavagem de dinheiro, além de “subverter” o sistema político-eleitoral brasileiro em associação ao publicitário Marcos Valério; segundo o promotor, o mensalão do PSDB, em 1998, foi “a origem e o laboratório dos fatos” do mensalão do PT.

Em 84 páginas, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, fundamentou pedido de condenação a 22 anos de prisão ao mentor do mensalão tucano, deputado Eduardo Azeredo (MG), ex-presidente nacional do PSDB. O documento foi encaminhado nesta sexta (7) Supremo Tribunal Federal (STF). ... 

Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
15 Comentários

Pizzolato diz que é vítima de processo político! conduzido por Barbosa

do Brasil 247
Ao responder à s perguntas das autoridades em um Tribunal de Bolonha, na Itália, o ex-diretor de Marketing Henrique Pizzolato declarou ter sido vítima, no Brasil, de um “processo político”. “Segundo ele, seu processo não foi administrado de uma maneira correta e foi um processo político”, relatou o advogado Lorenzo Bergami, que defende o brasileiro no país europeu.

Pizzolato negou ainda ter cometido os crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro pelos quais foi condenado e recebeu uma pena de 12 anos e sete meses de prisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Na conclusão do relator da Ação Penal 470, ministro Joaquim Barbosa, Pizzolato autorizou o repasse de R$ 73,7 milhões do Banco do Brasil, que estava no fundo Visanet, para a agência DNA Propaganda, de Marcos Valério, usada para distribuir o dinheiro do esquema chamado de ‘mensalão’.

Por esse processo, Pizzolato teria recebido R$ 336 mil. Apesar de ter negado nesta sexta-feira seu pedido de liberdade provisória, para aguardar em casa a decisão sobre o processo de extradição para o Brasil, o ex-diretor do BB passa agora a receber novos documentos sobre o caso, que podem ser úteis num eventual novo julgamento na Itália. Até o momento, os dados estavam sob sigilo, por determinação de Joaquim Barbosa.

Reportagem do Correio do Brasil desta tarde informa que militantes do PT e advogados garantiram, do Brasil, a inserção de informações técnicas e laudos periciais para contribuir no possível novo julgamento. Alguns deles são o Inquérito 2474 !“ cujas informações não foram incluídas na AP 470, desmembrada por Barbosa !“ e o Laudo 2828. Na análise do colunista Paulo Moreira Leite, que também vê Pizzolato como perseguido político, os documentos comprovam que ele é inocente.

Leia abaixo a reportagem do Correio do Brasil e aqui o artigo de PML:

Defesa de Pizzolato protocola dados negados por Barbosa na AP 470

Embora a Justiça italiana tenha negado, nesta sexta-feira, depois de uma audiência que durou cerca de duas horas no Tribunal de Bolonha, o pedido de liberdade provisória apresentado pela defesa de Henrique Pizzolato, militantes do PT e advogados, no Brasil, garantiram a inserção de informações técnicas e laudos periciais em um provável novo julgamento ao qual o ex-diretor do Banco do Brasil será submetido, na Itália. Pizzolato, por enquanto, deverá ficar preso na cidade de Módena, no norte do país.

Conforme o blog O Cafezinho publicou na véspera, em primeira mão, um documento que pode causar uma reviravolta no julgamento da Ação Penal 470, ao ser reaberto, na Itália. Trata-se de uma “Ata Notarial”, lavrada em cartório do Rio de Janeiro, trazendo informações e documentos oficiais que aniquilam as teses centrais da acusação da AP 470. A Ata poderá ser traduzida e enviada à  Itália, para o julgamento que se avizinha naquele país.

Em outro blog, o jornalista Paulo Moreira Leite afirmou, nesta sexta-feira, que Barbosa não escondeu somente o Inquérito 2474. Ele também escondeu o Laudo 2828 que ele mesmo mandou a PF fazer em 2006. Quando o STF começou a discutir a aceitação da denúncia, em 2007, o Laudo 2828 não foi incorporado ao conjunto de documentos a disposição dos ministros. Só um mês depois de aceita a denúncia, o Laudo 2828 é agregado à  Ação Penal. A razão que levou Barbosa a “esconder o Laudo 2828!³, segundo o articulista, “é simples”:

“Porque o laudo inocentava Pizzolato e derrubava o pilar central da acusação: que um petista desviou d Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
4 Comentários

Com medo de ser rebocada, prefeitura de Curitiba recua de multas a guincheiros; assista ao vídeo

Marcelo Araújo, especialista em trânsito, líder espiritual da caminhonata! que hoje tumultuou as ruas centrais de Curitiba, comemora anulação de multas a guincheiros que trafegaram pela Linha Verde, na região Sul; colunista deste blog, onde escreve nas segundas, advogado considera as penalidades impostas aos caminhões de emergência uma ilegalidade a serviço da indústria da multa! na capital; assista ao vídeo com a reportagem da RPCTV.

Marcelo Araújo, especialista em trânsito, líder espiritual da caminhonata! que hoje tumultuou as ruas centrais de Curitiba, comemora anulação de multas a guincheiros que trafegaram pela Linha Verde, na região Sul; colunista deste blog, onde escreve nas segundas, advogado considera as penalidades impostas aos caminhões de emergência uma ilegalidade a serviço da indústria da multa! na capital; assista ao vídeo com a reportagem da RPCTV.

O advogado Marcelo Araújo, líder espiritual dos guincheiros, comemorou hoje o recuo da prefeitura de Curitiba em relação as 16 mil multas aplicadas em caminhões guincho que trafegaram na Linha Verde, região Sul da cidade. ... 

Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
15 Comentários

De olho no tetra, Requião segue pegadas de Gleisi na região dos Campos Gerais

 Senador Roberto Requião luta em duas frentes: 1- interna, onde busca votos dos convencionais para viabilizar-se candidato e 2- na externa, onde tem que brigar como um leão para não deixar que a disputa pelo Palácio Iguaçu polarize entre Richa e Gleisi; peemedebista, de olho no tetra mandato à  frente do governo do Paraná, neste final de semana, segue as pegadas da senadora petista na região dos Campos Gerais; ela visita hoje Irati e Ponta Grossa; ele visita hoje Irati e amanhã estará em Pitanga e Laranjeiras do Sul.


Senador Roberto Requião luta em duas frentes: 1- interna, onde busca votos dos convencionais para viabilizar-se candidato e 2- na externa, onde tem que brigar como um leão para não deixar que a disputa pelo Palácio Iguaçu polarize entre Richa e Gleisi; peemedebista, de olho no tetra mandato à  frente do governo do Paraná, neste final de semana, segue as pegadas da senadora petista na região dos Campos Gerais; ela visita hoje Irati e Ponta Grossa; ele visita hoje Irati e amanhã estará em Pitanga e Laranjeiras do Sul.

Quem esperava uma eleição morna este ano pode ir tirando o cavalinho da chuva. A temperatura dos tende a acompanhar o clima dos últimos dias, quente, muito quente. ... 

Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
2 Comentários

Itália teme fuga e nega liberdade a Pizzolato

do Brasil 247
A Justiça italiana negou nesta sexta-feira 6, depois de uma audiência que durou cerca de duas horas no Tribunal de Bolonha, o pedido de liberdade provisória apresentado pela defesa de Henrique Pizzolato, enquanto aguarda a decisão sobre a extradição para o Brasil.

Apesar de o advogado de Pizzolato, Lorenzo Bergami, ter negado o fato, os juízes concluíram que “há risco de fuga” por parte do brasileiro com cidadania italiana, condenado a 12 anos e sete meses de prisão na Ação Penal 470 no ano passado. Com a decisão, ele deve ficar preso na cidade de Módena.

Pesou para a decisão também o fato de o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil ter entrado em território italiano portando documentos falsos. Quando foi preso, na última quarta-feira, Pizzolato portava RG, CPF, título de eleitor e passaporte do irmão Celso Pizzolato, morto há 35 anos. O crime pode levá-lo a cumprir pena de até três anos na Itália.

Foragido desde novembro, Pizzolato fugiu para a Itália para não cumprir a pena imputada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Hoje, ele respondeu, em italiano, à s perguntas dos juízes sobre sua condenação no Brasil. Com base na fuga do Brasil e no porte de documentos falsos, as autoridades italianas consideraram impossível conceder liberdade provisória ou prisão domiciliar.

Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
11 Comentários

Especialista vê “vacilo” de Fruet em relação à  redução da tarifa de ônibus

por Lafaiete Neves*

A decisão do TCE ,em manter a liminar que determina a redução da tarifa em R$ 0,43, caiu como uma bomba no colo do prefeito Gustavo Fruet. O que o prefeito mais queria e agora teme foi essa decisão do TCE. Em julho de 2013, após quatro meses de trabalho intensivo, a Comissão nomeada pelo prefeito para analisar os parâmetros tarifários, em uma audiência na Prefeitura Municipal de Curitiba, entregou o relatório ao prefeito, onde comprovava o superfaturamento da tarifa em R$ 0,43, apresentando todos os parâmetros que deveriam ser expurgados da tarifa ou reduzidos em seu valor projetado pela URBS para o pagamento as empresas de ônibus e propondo para resolver o problema a anulação da licitação dadas as denuncias de fraude no edital de 2010. Essa licitação questionada posteriormente pelo relatório dos Sindicatos, do TCE e pela CPI do Transporte Coletivo, na mesma posição da Comissão da URBS, indicaram a anulação dos contratos gerados pela licitação que legitimou as distorções.

O prefeito não acatou as indicações dos quatro relatórios e a todos repetia a mesma coisa: Não vou pedir a anulação da licitação, vou aguardar uma decisão da Justiça!.

As jornadas de junho de 2013, reunindo milhares de pessoas em Curitiba clamava pela redução da tarifa e pela anulação da licitação. Mais uma vez o prefeito ignorou o clamor das ruas. As entidades sindicais, estudantis e populares foram várias vezes ao Ministério Publico do Paraná, solicitar a sua pronta intervenção ajuizando uma ação civil pública para anular os atuais contratos. Essa instituição até agora não tomou nenhuma iniciativa na defesa de milhares de usuários. E o povo defendeu nas ruas a não aprovação da PEC37 que reduzia os poderes de investigação do Ministério Público, derrotada por pressão das ruas sobre o Congresso Nacional . Para que?

Várias reuniões foram feitas com os Secretários do Prefeito, com a Procuradoria da Prefeitura de Curitiba, com a Vice-prefeita, solicitando uma ação junto ao prefeito para convencê-lo a pedir a anulação dos contratos do transporte coletivo de Curitiba. Também foram ações infrutíferas.

As entidades populares , sindicais e estudantis foram então a OABPR, onde tiveram uma ótima receptividade. Esta entidade representativa dos advogados do Paraná, encaminhou para uma Comissão de Políticas Públicas, que elaborou um relatório corroborando os quatro relatórios anteriores, encaminhado ao Prefeito Municipal, solicitando também a anulação da licitação.

Até agora não entendemos essa resistência do prefeito Gustavo Fruet em tomar uma atitude jurídica para anular os contratos, com tanto apoio que teve das entidades e da sociedade curitibana e paranaense.

Essa indecisão do prefeito está custando politicamente muito caro a sua gestão e economicamente muito pesada para os usuários do transporte coletivo.

O governador está assistindo de camarote o desgaste do prefeito e irá contribuir ainda mais para isto, pois tal decisão do TCE dá cobertura para o governador Beto Richa, que na ocasião do inicio do processo de licitação em 2009, era prefeito de Curitiba, tendo encaminhado a Câma Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
16 Comentários

Trensalão pode ter rendido a tucanos mais de R$ 197 milhões em propinas

do Brasil 247
O esquema de cartel montado para obter contratos de trem e metrô com governos tucanos em São Paulo, desde a gestão de Mario Covas (1998) pode ter pago mais de R$ 197 milhões em propina. A informação consta no depoimento da testemunha-chave da investigação, o ex-diretor da multinacional Siemens Everton Rheinheimer, obtido pela Folha de S. Paulo.

Três secretários do governo Geraldo Alckmin (PSDB) são citados como destinatários do suborno: o chefe da Casa Civil, Edson Aparecido, o secretário de Energia, José Aníbal e o hoje secretário do Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Garcia (DEM).

Segundo o ex-diretor, a Siemens e seus parceiros pagaram 9% para fornecer trens à  linha 5 do Metrô em 2000, um contrato de R$ 1,57 bilhão, em valores atualizados.

O caso está nas mãos do STF, mas o juiz federal Marcelo Cavali classificou como frágeis os indícios de que eles receberam propina.

Rodrigo Garcia pediu ao Supremo a exclusão de seu nome do inquérito. Na petição enviada ao relator do inquérito, ministro Marcos Aurélio, o advogado Alexandre de Morais diz que não foi apontado a participação de Garcia nos fatos durante investigação na Justiça em São Paulo. Não há qualquer indício que possa caracterizar as necessárias elementares de qualquer tipo penal que pudesse vir a ser investigado, somente existindo meras ilações, criações fantasiosas de alguém que pretende se beneficiar de delação premiada, mas desde o início, informando não ter qualquer prova material contra o deputado federal [licenciado] Rodrigo Garcia!.

No entanto, Rheinheimer e o lobista Arthur Teixeira apontam Garcia como o ponto de contato político do esquema.

Além disso, um novo nome foi apontado nas investigações. A Corregedoria-Geral de Administração do Estado ligou nesta quinta-feira o secretário de Infraestrutura municipal, Osvaldo Spuri, ao cartel. Spuri é funcionário afastado da CPTM e foi o presidente da comissão de licitações em concorrência na qual a alemã Siemens diz ter havido formação de cartel. Ele participou de licitações na CPTM nas gestões de Mário Covas, Geraldo Alckmin e José Serra, todos do PSDB.

Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
9 Comentários

Depois de trolagem contra adversários, Richa proíbe ‘cibertucanos’ dentro do Palácio Iguaçu

O governador Beto Richa (PSDB), no apagar das luzes de 2013, assinou o decreto 9.768/13 para si mesmo e seus correligionários de ninho que foram descobertos dentro do Palácio Iguaçu utilizando a estrutura do Estado para difamar possíveis adversários políticos nas eleições deste ano.

Em setembro de 2013 (clique aqui), este blog revelou em primeiríssima mão a existência de ‘cibertucanos’ na sede do governo do Paraná, de onde disparavam contra a então ministra Gleisi Hoffmann (PT) e o senador Roberto Requião (PMDB).

Pois bem, a Justiça foi acionada para rastrear a origem das ofensas à  petista e ao peemedebista. Pelo IP (digital eletrônica), chegou-se bem perto de Richa, no Palácio Iguaçu. No mesmo andar, por coincidência.

Sabedor de que o uso da máquina pública em campanha para difamar adversários, além de desleal é ilegal, passível de cassação de mandato até, Richa baixou o decreto proibindo os funcionários de “utilizar redes sociais particulares, através de equipamentos do Estado, para fazer propaganda positiva ou negativa de qualquer candidato e divulgar opiniões políticas e partidárias”.

O governador do PSDB tomou uma baita dose de “vacina” contra possíveis questionamentos judiciais no futuro. Agiu depois de o leite ser derramado, haja vista que um funcionário seu tinha a função de “trollar” os adversários a partir do Palácio Iguaçu.

O advogado Luiz Fernando Pereira, especialista em Direito Eleitoral, já avisou que o decreto de Richa veio tarde demais. Vai responsabilizar o tucano na Justiça Eleitoral pela campanha antecipada utilizando computadores da do governo do estado. O governador poderá ter candidatura à  reeleição cassada.

A seguir, leia a íntegra do decreto 9.768/13 contra ‘cibertucanos’:

Publicado no Diário Oficial n!º. 9110 de 19 de Dezembro de 2013

Súmula: Divulgada condutas vedadas aos Agentes Públicos dos órgãos da Administração Direta, Indireta e Serviços Sociais Autônomos no
ano eleitoral de 2014.

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANà, no uso de suas atribuições, tendo em vista o contido no protocolado sob o n!º 13.022.492-0 e ainda,
CONSIDERANDO que a Administração Pública rege-se, dentre outros,pelos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência (art. 37 da Constituição Federal);

CONSIDERANDO o disposto na legislação que regula a realização das eleições, bem como nas Resoluções expedidas pelo Tribunal Superior Eleitoral;
CONSIDERANDO a necessidade de disciplinar a atuação dos agentes públicos da Administração direta, indireta e autárquica do Estado durante o período alcançado pela legislação eleitoral, resguardando-se a Administração Pública quanto à  prática de qualquer conduta vedada, por exclusiva ação de seus agentes; e

CONSIDERANDO que para a fiel observância dos princípios e normas legais vigentes, faz-se necessária a orientação aos servidores e agentes públicos do Estado quanto à s cond Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
5 Comentários

Guincheiros prometem “travar” Centro Cívico. Quem vai guinchar o guincho?

Uma "caminhonata" segue em direção à  prefeitura de Curitiba, no Centro Cívico, em protesto contra a "indústria da multa"; guincheiros prometem "travar" a região com seus caminhões em protesto à s multas eletrônicas que receberam por trafegar pela Linha Verde, na região Sul; Marcelo Araújo, que inspirou o movimento, vê ilegalidade da gestão Gustavo Fruet (PDT); afinal, se fecharem as ruas, como prometem, quem vai guinchar o guincho?

Uma “caminhonata” segue em direção à  prefeitura de Curitiba, no Centro Cívico, em protesto contra a “indústria da multa”; guincheiros prometem “travar” a região com seus caminhões em protesto à s multas eletrônicas que receberam por trafegar pela Linha Verde, na região Sul; Marcelo Araújo, que inspirou o movimento, vê ilegalidade da gestão Gustavo Fruet (PDT); afinal, se fecharem as ruas, como prometem, quem vai guinchar o guincho?

Neste exato momento, em Curitiba, segue uma “caminhonata” rumo ao Centro Cívico, onde estão localizadas as sedes da prefeitura, do governo do estado, do legislativo e do judiciário. A manifestação é caminhoneiros que trabalham com guincho — uma atividade de emergência, portanto. ... 

Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
11 Comentários

Coluna do Ricardo Mac Donald: “Aqui em Curitiba agora é proibido “mamar deitado” à s custas do erário”

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, aborda os bastidores da concessão da Rodoferroviária cujo valor alcançado !“ R$ 7 milhões !“ é dez vezes maior que a Prefeitura arrecadava: apenas R$ 700 mil; capitão do time do prefeito Gustavo Fruet (PDT) relata que houve choradeira! daqueles que lá estavam quando se realizou a licitação: Da nossa tradição lusitana, herdamos duas características: um enorme apego à  burocracia e o desejo de viver à  sombra do Estado!, observa no episódio, apontando que o desejo de muitos era continuar mamando deitado! à s expensas do erário; por fim, colunista apresenta a fórmula contra o clientelismo no poder público: A mudança só ocorrerá com a luta cotidiana, um forte trabalho de convencimento e a escolha de governantes com visão de futuro!; leia o texto.

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, aborda os bastidores da concessão da Rodoferroviária cujo valor alcançado !“ R$ 7 milhões !“ é dez vezes maior que a Prefeitura arrecadava: apenas R$ 700 mil; capitão do time do prefeito Gustavo Fruet (PDT) relata que houve choradeira! daqueles que lá estavam quando se realizou a licitação: Da nossa tradição lusitana, herdamos duas características: um enorme apego à  burocracia e o desejo de viver à  sombra do Estado!, observa no episódio, apontando que o desejo de muitos era continuar mamando deitado! à s expensas do erário; por fim, colunista apresenta a fórmula contra o clientelismo no poder público: A mudança só ocorrerá com a luta cotidiana, um forte trabalho de convencimento e a escolha de governantes com visão de futuro!; leia o texto.

por Ricardo Mac Donald* ... 

Leia mais