Veja essa: PSDB quer levar à  Justiça mensagem de Natal de Dilma

do Brasil 247

Líder do partido na Câmara, Carlos Sampaio (SP), avisou em nota que vai levar carta! da presidente aos servidores públicos federais ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot; segundo ele, ato configura 'abuso de poder'; deputado também pretende propor na Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral uma ação judicial de investigação eleitoral.

Líder do partido na Câmara, Carlos Sampaio (SP), avisou em nota que vai levar carta! da presidente aos servidores públicos federais ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot; segundo ele, ato configura ‘abuso de poder’; deputado também pretende propor na Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral uma ação judicial de investigação eleitoral.

O líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio (SP), divulgou em nota nesta quarta-feira (25) que vai acionar a Justiça Eleitoral e a Procuradoria-Geral da República contra a mensagem de fim de ano enviada pela presidente Dilma Rousseff a servidores públicos federais.

“à‰ com carinho e reconhecimento que me dirijo aos servidores federais depois de um ano de trabalho árduo, e também de muitas conquistas. As vozes dos que foram à s ruas querem melhores serviços públicos, mais médicos, mais educação, mais transporte de qualidade, mais segurança. Cabe a todos nós, servidores públicos, responder essas vozes”, disse a presidente pelo Twitter (leia mais).

Para Sampaio, a carta! de Dilma aos funcionários públicos se caracteriza como “abuso de poder”: “Nenhum outro candidato teria acesso aos endereços de todos os funcionários públicos federais para poder enviar correspondências natalinas similares !“ competindo assim, ainda que também de forma ilegal e extemporânea, em igualdade de condições por sua promoção pessoal”.

Ainda de acordo com a nota do PSDB, Sampaio vai protocolar nesta sexta-feira (27) representação ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para que verifique se houve ato de improbidade administrativa. O deputado também pretende propor na Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral uma ação judicial de investigação eleitoral.

Comentários encerrados.