Por Esmael Morais

Na crise, tucanos estudam ressuscitar àlvaro Dias para o governo do Paraná

Publicado em 06/12/2013

Na quebradeira que está o Paraná, o senador àlvaro Dias começa a tornar-se uma opção concreta dos tucanos para o Palácio Iguaçu; institutos de pesquisa já incluem o parlamentar nas sondagens; também cresce pressão para que Richa dispute o Senado; sondado sobre possível apoio para mandar o governador do PSDB a Brasília, Requião esbravejou: "Nem a pau, Juvenal!".

Na quebradeira que está o Paraná, o senador àlvaro Dias começa a tornar-se uma opção concreta dos tucanos para o Palácio Iguaçu; institutos de pesquisa já incluem o parlamentar nas sondagens; também cresce pressão para que Richa dispute o Senado; sondado sobre possível apoio para mandar o governador do PSDB a Brasília, Requião esbravejou: “Nem a pau, Juvenal!”.

O senador àlvaro Dias volta a ser sondado em pesquisas de opinião para o governo do Paraná. O nome do tucano já circula nos bastidores da política e dos institutos como provável substituto de Beto Richa no PSDB.

A avaliação corrente no Centro Cívico é de que o “choque de gestão” enfiou o estado em uma crônica crise financeira e de confiança.

Embora eles sejam do mesmo ninho, os tucanos Richa e àlvaro não se bicam há muito tempo. Mas a saída “inversa” nas eleições de 2014 (àlvaro disputando o Palácio Iguaçu e Richa concorrendo ao Senado) não é descartada. Vão os anéis, mas ficam os dedos…!, filosofa um palaciano.

Diante desse novo quadro, já teve deputado estadual peemedebista, que até ontem advogava pela reeleição do governador tucano, consultando Roberto Requião (PMDB) sobre a hipótese de apoiar Richa ao Senado. O senador, ao seu estilo, respondeu de pronto ao parlamentar richista: “nem a pau, Juvenal!”.

Na última quarta (4), em Brasília, o vice-presidente da República, Michel Temer, que luta para continuar na chapa de Dilma Rousseff, foi enfático ao vetar o PMDB no palanque do PSDB no Paraná.