Por Esmael Morais

Michel Temer veta PMDB do Paraná em palanque triplo de Beto Richa

Publicado em 05/12/2013

Vice-presidente da República, Michel Temer, e Valdir Raupp, presidente nacional do PMDB, em reunião com a bancada estadual do partido no Paraná, vetaram ontem à  noite coligação com o governador Beto Richa; dirigentes nacionais peemedebistas descartaram participar do triângulo amoroso! sugerido pelo tucano na terra das araucárias; "O palanque na hipótese da aliança com PSDB local 'não fecha'", relata Rocha Loures, coordenador de Relações Institucionais da Vice-Presidência da República, que defende candidatura própria no partido; Richa propõe apoiar Aécio Neves (PSDB), Eduardo Campos (PSB) e Dilma Rousseff (PT); O partido vai bater o martelo acerca de seu na convenção regional!, avisa Rocha Loures.

Vice-presidente da República, Michel Temer, e Valdir Raupp, presidente nacional do PMDB, em reunião com a bancada estadual do partido no Paraná, vetaram ontem à  noite coligação com o governador Beto Richa; dirigentes nacionais peemedebistas descartaram participar do triângulo amoroso! sugerido pelo tucano na terra das araucárias; “O palanque na hipótese da aliança com PSDB local ‘não fecha'”, relata Rocha Loures, coordenador de Relações Institucionais da Vice-Presidência da República, que defende candidatura própria no partido; Richa propõe apoiar Aécio Neves (PSDB), Eduardo Campos (PSB) e Dilma Rousseff (PT); O partido vai bater o martelo acerca de seu na convenção regional!, avisa Rocha Loures.

O vice-presidente da República, Michel Temer, em jantar com a bancada estadual paranaense do PMDB no Palácio Jaburu, ontem à  noite, em Brasília, fulminou a ideia de participar do palanque “triplo” proposto pelo governador Beto Richa (PSDB).

Em 2014, tucano já assumiu compromisso de subir no palanque de Aécio Neves (PSB) e Eduardo Campos (PSB). Agora quer colocar um pé na campanha da presidenta Dilma Rousseff (PT) por meio de coligação com os peemedebistas.

O coordenador de Relações Institucionais da Vice-Presidência da República, Rodrigo Rocha Loures, relatou a posição de Temer e do presidente nacional da sigla Valdir Raupp, também presente no banquete:

“Primeira hipótese candidato próprio a governador, segunda hipótese aliança com PT e terceira com PSDB. Ficou evidente que é muito difícil para o PMDB/PR apoiar Dilma/Temer, quando Beto vai apoiar Aécio/Eduardo. O palanque na hipótese da aliança com PSDB local ‘não fecha'”.

Numa rápida conferência, Rocha Loures computou entre os dez deputados estaduais presentes no jantar cinco a favor da candidatura própria e 5 a favor de uma coligação proporcional forte que garanta a manutenção das atuais bancadas estaduais e federais. Pode ser com PSDB ou PT.

Dos 13 deputados da bancada estadual, três faltaram: Artagão de Mattos Leão, Alexandre Curi, Nereu Moura.

Segundo Rocha Loures, não houve decisão na reunião de ontem à  noite que durou mais de duas horas. “A instância adequada é a convenção regional e os delegados estaduais, no tempo certo decidirão o rumo partidário”, explicou.