Dilma Rousseff vence no primeiro turno, diz Paraná Pesquisas

Segundo a Paraná Pesquisas, em levantamento nacional divulgado nesta terça (10), se as eleições fossem hoje, Dilma seria reeleita com 47,2%; Aécio Neves teria 20,5%, Eduardo Campos 11,3%; somente a presença de Marina Silva poderia levar a disputa para o segundo turno, diz Murilo Hidalgo, diretor do instituto; ex-senadora atinge 24,5% das intenções de voto.
Segundo a Paraná Pesquisas, em levantamento nacional divulgado nesta terça (10), se as eleições fossem hoje, Dilma seria reeleita com 47,2%; Aécio Neves teria 20,5%, Eduardo Campos 11,3%; somente a presença de Marina Silva poderia levar a disputa para o segundo turno, diz Murilo Hidalgo, diretor do instituto; ex-senadora atinge 24,5% das intenções de voto.
O diretor da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, afirma que se as eleições fosse hoje a presidenta Dilma Rousseff (PT) seria reeleita, caso seus adversários fossem o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Segundo sondagem nacional feita pelo instituto, a presidenta teria 47,2% das intenções de voto. Somados, Aécio e Campos, teriam 31,8%.

A presidente também teria uma vantagem de 10 pontos, caso o candidato tucano fosse o ex-governador de São Paulo, José Serra.

A ex-senadora tem melhor desempenho que Campos na pesquisa. Ela tem 24,5% das intenções de voto, ante 42,5% de Dilma e 17,9% de Aécio, o que representa uma diferença de ínfimos 0,1% entre a intenção de voto na petista e a soma dos outros dois.

De acordo com a Paraná Pesquisas, a disputa só iria para o segundo turno em cenário cujos adversários da petista fossem Marina Silva (PSB) e José Serra (PSDB). A dupla oposicionista somaria 44,3% ante 41,08% de Dilma.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, embora não se declare candidato, aparece 15,6%, tecnicamente empatado com Aécio.

Hidalgo avalia que somente Marina poderá complicar a vida de Dilma e ele não descarta que a ex-senadora venha a substituir Campos na disputa, caso continue patinando nas pesquisas.

Aprovação

Entre junho e dezembro, a aprovação do governo de Dilma subiu de 50% para 56%. A desaprovação passou de 44% para 39%. Apesar dessa melhora, temos um índice alto de desaprovação. Não é um número que traga tranquilidade!, diz Hidalgo.

Dilma também tem a rejeição mais alta entre todos os candidatos, 27,6%. Os nomes com os menores índices de rejeição são justamente os de Marina (6,9%) e Barbosa (5,0%). A margem de erro da pesquisa é de 2%.

Acerca da pesquisa

A Paraná Pesquisas entrevistou 2,250 eleitores maiores de 16 anos, em 158 municípios brasileiros, entre os dias 3 e 7 de dezembro. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos.

Veja os cenários da Paraná Pesquisas:

Clique na imagem para ampliar.
Clique na imagem para ampliar.

Com informações do jornal Gazeta do Povo.

Comments are closed.