Coluna do André Vargas: “Enquanto Richa chora e só pensa em pedágio, o governo Dilma trabalha pelo PR”

Publicado em 17 dezembro, 2013
Compartilhe agora!

André Vargas, em sua coluna desta terça, afirma que enquanto Beto Richa chora em busca de responsáveis pelo caos administrativo e financeiro, o governo de Dilma Rousseff faz obras e investimentos pesados em infraestrutura no Paraná; mais uma vez, o colunista elogia o ex-governador Requião pela recuperação que teria feito nas estradas e acusa o tucano de "só pensar em pedágio"; "Enquanto o governador comemora o pagamento do décimo terceiro com a chegada de um empréstimo internacional ou fica procurando responsáveis pelo desastre administrativo em curso nós continuamos trabalhando pelo Brasil e pelo Paraná", cutuca o vice-presidente da Câmara e porta-voz de Gleisi Hoffmann no PT; leia o texto.
André Vargas, em sua coluna desta terça, afirma que enquanto Beto Richa chora em busca de responsáveis pelo caos administrativo e financeiro, o governo de Dilma Rousseff faz obras e investimentos pesados em infraestrutura no Paraná; mais uma vez, o colunista elogia o ex-governador Requião pela recuperação que teria feito nas estradas e acusa o tucano de “só pensar em pedágio”; “Enquanto o governador comemora o pagamento do décimo terceiro com a chegada de um empréstimo internacional ou fica procurando responsáveis pelo desastre administrativo em curso nós continuamos trabalhando pelo Brasil e pelo Paraná”, cutuca o vice-presidente da Câmara e porta-voz de Gleisi Hoffmann no PT; leia o texto.
por André Vargas*

Temos, insistentemente, mostrado à  sociedade paranaense, a triste realidade financeira em que este governo colocou nosso Estado, e onde, levianamente, tem procurado culpar o governo federal, acusando-o de não liberar recursos financeiros e não investir no Paraná. Pois bem. Vamos mostrar agora o compromisso da presidente Dilma Rousseff para com o Paraná, desmistificando a falácia de que o governo central discrimina o Estado.

Enquanto o governo federal investe pesado em infraestrutura no Paraná, em especial nas estradas, o governo estadual, afundado em dívidas e conflitos, só pensa em pedágio, numa clara evidência de que as poucas estradas estaduais que foram recuperadas pelo governo Requião e que encontram em péssimas condições de tráfego, vão servir como moeda de troca. Serão transformadas em rodovias pedagiadas e quem pagará a conta, novamente, será a população.

Só no último período o governo Dilma garantiu investimentos de cerca de R$ 10 bi na infraestrutura do nosso Estado. São rodovias novas como a Transbrasiliana e Transboadeira orçadas em cerca de R$ 700 milhões. E a recuperação das rodovias federais que cortam nosso estado com mais de R$ 1,5 bi destacando a BR-163 de Guaíra a Capanema que está sendo restaurada e será integralmente readequada.

Além dessas obras, lembramos também da licitação e obras já contratadas dentro do programa de restauração da malha rodoviária !“ Crema, do DNIT – no valor total de R$ 900 milhões. Somente este programa prevê restaurar 1.300 km de rodovias em todo o Estado.

Assinalamos ainda o maior investimento em infraestrutura de mobilidade na capital paranaense !“ o Metrô de Curitiba !“ onde o governo federal estará destinando um total de R$ 5,3 bilhões.

No interior há investimentos vultosos como nos contornos de Maringá e Cascavel, obras de acessibilidade em Londrina e o rebaixamento da Linha Férrea em Maringá. Vale Lembrar o PAC Pavimentação que atendeu dezenas de cidades no interior.

Os investimentos em infraestrutura do governo federal não terminam aqui. Para o Aeroporto Internacional de São José dos Pinhais existe o projeto da 3!ª pista de pouso e decolagem, a ampliação do pátio de aeronaves, a reforma e ampliação do terminal de passageiro, e ampliação da pista de pouso e decolagem, além de nova pista de táxi.

O Plano de investimentos do governo federal em aeroportos regionais contempla 15 municípios. São eles: Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Cascavel, Foz do Iguaçu, Toledo, Guarapuava, Umuarama, Paranaguá, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Pato Branco, União da Vitória, Telêmaco Borba e Bandeirantes. Em Foz do Iguaçu e Londrina por exemplo, o governo federal está investindo na reforma e ampliação dos terminais de passageiros e a ampliação das pistas estão com recursos garantidos.

O Plano de Modernização dos Portos prevê investimentos de mais de R$ 800 milhões em dragagem e a licitação de terminais deve atrair investimentos bilionários sempre respeitando os contratos, mas exigindo a contrapartida daqueles que se utilizam de áreas públicas visando a eficiência e a competitividade brasileira.

As ferrovias também receberão investimentos bilionários com a construção da ferrovia que liga Maracaju (MS) a Lapa passando por Guaíra e Cascavel. A revitalização da ferrovia que passa por Itararé até a Lapa está com estudos avançados. A ferrovia Norte-Sul está com o seu traçado paranaense sendo avaliado.

Enquanto o governador Beto Richa comemora o pagamento do décimo terceiro com a chegada de um empréstimo internacional ou fica procurando responsáveis pelo desastre administrativo em curso nós continuamos trabalhando pelo Brasil e pelo Paraná.

*André Vargas, deputado federal pelo PT do Paraná, vice-presidente da Câmara, é colunista do Blog do Esmael. Escreve sobre poder e socialismo nas terças-feiras.

Compartilhe agora!

Comments are closed.