Por Esmael Morais

Coluna do André Vargas: “Enquanto Richa chora e só pensa em pedágio, o governo Dilma trabalha pelo PR”

Publicado em 17/12/2013

André Vargas, em sua coluna desta terça, afirma que enquanto Beto Richa chora em busca de responsáveis pelo caos administrativo e financeiro, o governo de Dilma Rousseff faz obras e investimentos pesados em infraestrutura no Paraná; mais uma vez, o colunista elogia o ex-governador Requião pela recuperação que teria feito nas estradas e acusa o tucano de "só pensar em pedágio"; "Enquanto o governador comemora o pagamento do décimo terceiro com a chegada de um empréstimo internacional ou fica procurando responsáveis pelo desastre administrativo em curso nós continuamos trabalhando pelo Brasil e pelo Paraná", cutuca o vice-presidente da Câmara e porta-voz de Gleisi Hoffmann no PT; leia o texto.

André Vargas, em sua coluna desta terça, afirma que enquanto Beto Richa chora em busca de responsáveis pelo caos administrativo e financeiro, o governo de Dilma Rousseff faz obras e investimentos pesados em infraestrutura no Paraná; mais uma vez, o colunista elogia o ex-governador Requião pela recuperação que teria feito nas estradas e acusa o tucano de “só pensar em pedágio”; “Enquanto o governador comemora o pagamento do décimo terceiro com a chegada de um empréstimo internacional ou fica procurando responsáveis pelo desastre administrativo em curso nós continuamos trabalhando pelo Brasil e pelo Paraná”, cutuca o vice-presidente da Câmara e porta-voz de Gleisi Hoffmann no PT; leia o texto.

por André Vargas*

Temos, insistentemente, mostrado à  sociedade paranaense, a triste realidade financeira em que este governo colocou nosso Estado, e onde, levianamente, tem procurado culpar o governo federal, acusando-o de não liberar recursos financeiros e não investir no Paraná. Pois bem. Vamos mostrar agora o compromisso da presidente Dilma Rousseff para com o Paraná, desmistificando a falácia de que o governo central discrimina o Estado.

Enquanto o governo federal investe pesado em infraestrutura no Paraná, em especial nas estradas, o governo estadual, afundado em dívidas e conflitos, só pensa em pedágio, numa clara evidência de que as poucas estradas estaduais que foram recuperadas pelo governo Requião e que encontram em péssimas condições de tráfego, vão servir como moeda de troca. Serão transformadas em rodovias pedagiadas e quem pagará a conta, novamente, será a população.

Só no último período o governo Dilma garantiu investimentos de cerca de R$ 10 bi na infraestrutura do nosso Estado. São rodovias novas como a Transbrasiliana e Transboadeira orçadas em cerca de R$ 700 milhões. E a recuperação das rodovias federais que cortam nosso estado com mais de R$ 1,5 bi destacando a BR-163 de Guaíra a Capanema que está sendo restaurada e será integralmente readequada.

Além dessas obras, lembramos também da licitação e obras já contratadas dentro do programa de restauração da malha rodoviária !“ Crema, do DNIT – no valor total de R$ 900 milhões. Somente este programa prevê restaurar 1.300 km de rodovias em todo o Estado.

Assinalamos ainda o maior investimento em infraestrutura de mobilidade na capital paranaense !“ o Metrô de Curitiba !“ onde o governo federal estará destinando um total de R$ 5,3 bilhões.

No interior há investimentos vultosos como nos contornos de Maringá e Cascavel, obras de acessibilidade em Londrina e o rebaixamento da Linha Férrea em Maringá. Vale Lembrar o PAC Pavimentação que atendeu dezenas de cidades no interior.

Os investimentos em infraestrutura do governo federal não terminam aqui. Para o Aeroporto Internacional de São José dos Pinhais existe o projeto da 3!ª pista de pouso e decolagem, a ampliação do pátio de aeronaves, a reforma e ampliação do terminal de passageiro, e ampliação da pista de pouso e decolagem, além de nova pista de táxi.

O Plano de investimentos do governo federal em aeroportos regionais contempla 15 municípios. São eles: Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Cascavel, Foz do Iguaçu, Toledo, Guarapuava, Umuarama, Paranaguá, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Pato Branco, União da Vitória, Telêmaco Borba e Bandeirantes. Em Foz do Iguaçu e Londrina por exemplo, o governo federal está investindo na reforma e ampliação dos terminais de passageiros e a ampliação das pistas estão com recursos garantidos.

O Plano de Modernização dos Portos prevê investimentos de mais de R$ 800 milhões em dragagem e a licitação de terminais deve atrair investimentos bilionários sempre respeitando os contratos, mas exigindo a contrapartida daqueles que se utilizam de áreas públicas visando a eficiência e a competitividade brasileira.

As ferrovias também receberão investimentos bilionários com a construção da ferrovia que liga Maracaju (MS) a Lapa passando por Guaíra e Cascavel. A revitalização da ferrovia que passa por Itararé até a Lapa está com estudos avançados. A ferrovia Norte-Sul está com o seu traçado paranaense sendo avaliado.

Enquanto o governador Beto Richa comemora o pagamento do décimo terceiro com a chegada de um empréstimo internacional ou fica procurando responsáveis pelo desastre administrativo em curso nós continuamos trabalhando pelo Brasil e pelo Paraná.

*André Vargas, deputado federal pelo PT do Paraná, vice-presidente da Câmara, é colunista do Blog do Esmael. Escreve sobre poder e socialismo nas terças-feiras.