Coluna do Ademar Traiano: “As hienas petistas riem dos calotes de Dilma?”

Publicado em 18 dezembro, 2013
Compartilhe agora!

Deputado Ademar Traiano, principal ideólogo do Palácio Iguaçu, em sua coluna de hoje, compara os petistas à s sorridentes hienas prenhas; líder do governo Beto Richa, ele enumera calotes do governo Dilma Rousseff em várias áreas, citando atrasos no bolsa-atleta, no Pronatec e nas obras do PAC; colunista jura que dificuldades econômicas do Paraná são momentâneas e que já estariam sendo sanadas com liberação de empréstimos; "se o governo federal não tem recursos para pagar aposentados, merenda escolar, atletas, alunos do Pronatec, do que riem as hienas petistas mensaleiras?", fuzila, referindo-se de forma velada ao deputado André Vargas, também colunista neste espaço; leia o texto.
Deputado Ademar Traiano, principal ideólogo do Palácio Iguaçu, em sua coluna de hoje, compara os petistas à s sorridentes hienas prenhas; líder do governo Beto Richa, ele enumera calotes do governo Dilma Rousseff em várias áreas, citando atrasos no bolsa-atleta, no Pronatec e nas obras do PAC; colunista jura que dificuldades econômicas do Paraná são momentâneas e que já estariam sendo sanadas com liberação de empréstimos; “se o governo federal não tem recursos para pagar aposentados, merenda escolar, atletas, alunos do Pronatec, do que riem as hienas petistas mensaleiras?”, fuzila, referindo-se de forma velada ao deputado André Vargas, também colunista neste espaço; leia o texto.
por Ademar Traiano*

O PT tem vocação para substituir fatos por fábulas. Sobre investimentos federais no Paraná, por exemplo, petistas recitam um dicionário de maravilhas rodoviárias e ferroviárias que resolveriam todos nossos problemas de transporte. O problema, é que essas realizações são imaginárias. Tão fantasiosas quanto o viés democrático da guerrilha do José Genoino no Araguaia, a modéstia do José Dirceu, a lisura do Delúbio Soares, ou a castidade do ex-assessor da ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

A verdade nua e crua é a seguinte: o Paraná é o 5!º Estado que mais contribui com receitas para a União, mas recebe apenas um percentual ínfimo de recursos e das obras federais do país. Enfrenta ainda discriminação odiosa na liberação de empréstimos, de repasses federais e sofre avanços constantes sobre suas receitas.

O PAC, que é um fiasco no Brasil, é um desastre no Paraná. Um levantamento produzido pela revista Exame, que contratou consultorias, prova a farsa. Boa parte das obras de infraestrutura prometidas foi de um PAC para outro e nunca foi realizada. Além de empacadas, as obras do PAC tem graves suspeitas de corrupção. No Paraná a situação é ainda pior, porque nossos ministros petistas cuidam de excluir o Estado dos projetos.

O PT comemora com a alacridade, digna de hiena no cio, momentâneas dificuldades de caixa do Paraná. As dificuldades financeiras do Estado decorrem, principalmente, do atraso dos empréstimos que precisam do aval federal, mas a situação está sendo colocada em dia.

à‰ bom notar que o governo federal, que tem a chave do cofre e o controle da Casa da Moeda, enfrenta problemas financeiros constantes com seus fornecedores e descumpre compromissos. O Dnit tem atrasado pagamentos para obras rodoviárias e o atraso de pagamento da Bolsa-Atleta tem deixado sem recursos os competidores de modalidades olímpicas e paraolímpicas, só para citar dois exemplos.

Não se vê deputados do PT soltando rojões nem comemorando dificuldades de caixa do governo federal, que são muitas e graves. Elas vão da merenda escolar, atraso de fornecedores, programas sociais e repasses a estados e municípios. Prefeitos e secretários de Educação de todo o país têm ligado para Brasília em busca de mais informações sobre o motivo do atraso nos repasses da merenda escolar dos últimos meses do ano. Não conseguem obter nem resposta.

Reportagem da Folha de S. Paulo deste domingo revela que 5.691 atletas de alto rendimento contemplados pelo programa Bolsa Atleta, estão sem receber o benefício há três meses. Estes atletas irão representar o país nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

Na mesma situação estão muitos alunos do programa de ensino técnico, o Pronatec, que reclamam do atraso no pagamento da bolsa que o governo federal disponibiliza para cobrir as despesas durante o curso. Eles afirmam que estão desde outubro sem receber o auxílio de R$ 80, que deveria ser pago a cada 15 dias.

Já no setor da infraestrutura, o general Jorge Ernesto Fraxe, chefe do Dnit, se diz preocupado com atrasos e calotes do governo Dilma nos pagamentos a empreiteiras responsáveis por serviços já executados nas rodovias federais e com riscos de descumprimento no calendário de obras e ações nos tribunais contra a autarquia.

Os aposentados que planejavam usar neste ano o dinheiro ações ganhas na Justiça contra a União terão de exercitar a paciência. Os depósitos das indenizações no valor de até 60 salários mínimos, que estavam programados para o mês de novembro foram adiados por falta de recursos!.

As obras de mobilidade urbana aprovadas pelo governo federal para a Copa do Mundo de 2014 estão com uma taxa de atrasos de 75,6%. Se tivessem noção, os petistas deveriam perceber que não há o que comemorar. Que apesar das dificuldades que enfrenta, o Paraná exibe indicadores econômicos (PIB, produção industrial, renda e emprego) em tudo superiores aos do Brasil de Dilma. Em conhecida anedota o humorista Juca Chaves, comenta intrigado o riso da hiena. Afinal, ela ri do quê?

*Ademar Traiano é deputado estadual pelo PSDB e líder do governo Beto Richa na Assembleia Legislativa. Ele escreve à s quartas-feiras sobre governo e parlamento.

Compartilhe agora!

Comments are closed.