Novo reajuste: Governo Richa e concessionárias fazem de patetas membros da CPI do Pedágio

Publicado em 27 novembro, 2013
Compartilhe agora!

Presidente da Fiep, Edson Campagnolo, lidera cruzada pela redução do pedágio nas rodovias paranaenses; segundo ele, preço alto da tarifa afeta competitividade do setor produtivo, além de desperdiçar oportunidades de negócios, geração de emprego e renda no estado; governo Richa, em conluio com pedagiadoras, anuncia novo reajuste nas tarifas neste domingo (1); CPI do Pedágio, também conhecida como CPI da Pizza!, faz papel de pateta na Assembleia Legislativa do Paraná.
Presidente da Fiep, Edson Campagnolo, lidera cruzada pela redução do pedágio nas rodovias paranaenses; segundo ele, preço alto da tarifa afeta competitividade do setor produtivo, além de desperdiçar oportunidades de negócios, geração de emprego e renda no estado; governo Richa, em conluio com pedagiadoras, anuncia novo reajuste nas tarifas neste domingo (1); CPI do Pedágio, também conhecida como CPI da Pizza!, faz papel de pateta na Assembleia Legislativa do Paraná.
O governo Beto Richa (PSDB) deverá autorizar, até sexta (29), novo aumento para as tarifas de pedágio nas rodovias do Paraná. O pedido de correção nos valores formulado pelas empresas concessionadas já estão nas mãos do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR) e à  Agência Reguladora do Paraná (Agepar).

A partir deste domingo (1), a tarifa para carros de passeio na BR-277 entre Curitiba e o Litoral subirá dos atuais R$ 14,60 para R$ 15,40 !“ o que representa um reajuste de 5,48%.

O reajuste na tarifa da praça de Céu Azul, na região Oeste, deverá ser corrigida em cerca de 9,44%, saltando dos R$ 8,20 atuais para algo entre de R$ 8,85 e R$ 9. Já a tarifa da praça de São Miguel, também no Oeste, deverá passar de R$ 10,80 para um valor entre R$ 11,80 e R$ 11,85.

As pedageiras em conluio com o Palácio Iguaçu preparam essa tungada nos usuários das rodovias debaixo do nariz da CPI da Pizza, também conhecida como CPI do Pedágio que tramita na Assembleia Legislativa do Paraná.

Só pode se dizer séria uma CPI que apresente em seu relatório final a proposta de encampação pelo Estado a administração de suas estradas, haja vista que entidades técnicas denunciam que as pedagiadoras ficaram 15 anos roubando os paranaenses (clique aqui para relembrar).

Crea recomenda que governo não renove contrato de pedágio no PR; relatório prova que usuários estão sendo roubados há 15 anos


O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, em várias oportunidades, repetiu que esse modelo [de pedágio] e esse valor [da tarifa], além da não execução das obras previstas, não interessa à  população!.

Para Campagnolo, o preço escorchante do pedágio já praticado nas rodovias faz com que os produtos paranaenses percam competitividade, promova queda no nível de emprego, receita ao governo e de negócios ao mundo produtivo.

Compartilhe agora!

Comments are closed.