Suspeita de nova farra com diárias na Secretaria da Educação do Paraná

Palácio Iguaçu coloca a lupa nas diárias da Secretaria da Educação, pasta comandada pelo vice Flávio Arns (PSDB); o dinheirinho que é torrado em viagens desnecessárias até pelos tucanos poderia resolver a implantação dos 33% da hora-atividade e o pagamento de progressões que está atrasado aos educadores; no final de semana, no município de Santa Cecília do Pavão, Norte, teve protesto dos professores durante visita do governador Beto Richa; em 2010, na SUDE, antiga Fundepar, houve faxina por conta de farra de R$ 3 milhões na central de viagens que ainda é investigada pelo MP.
Palácio Iguaçu coloca a lupa nas diárias da Secretaria da Educação, pasta comandada pelo vice Flávio Arns (PSDB); o dinheirinho que é torrado em viagens desnecessárias até pelos tucanos poderia resolver a implantação dos 33% da hora-atividade e o pagamento de progressões que está atrasado aos educadores; no final de semana, no município de Santa Cecília do Pavão, Norte, teve protesto dos professores durante visita do governador Beto Richa; em 2010, na SUDE, antiga Fundepar, houve faxina por conta de farra de R$ 3 milhões na central de viagens que ainda é investigada pelo MP.
O Palácio Iguaçu deverá promover uma devassa na central de viagens para identificar uma verdadeira farra de diárias na Secretaria de Estado da Educação (SEED). A ordem é antecipar-se à  oposição e à  imprensa. Já se identificou onde estão localizados os problemas com a gastança desnecessária.

Segundo um palaciano, o valor torrado com diárias pela SEED é tão alto que até Deus duvida. Um orelha seca do blog, naquele órgão educacional, já está prospectando o numerário.

O exemplo vem de cima, segundo o senador Roberto Requião (PMDB), que há pouco mais de uma semana flagrou o secretário da pasta, Flávio Arns (PSDB), que também é vice-governador, fazendo farra com aviões do estado.

Em cascavel três aviões do estado para trazer meia dúzia de secretários e burocratas. Não há dinheiro para carros da polícia no Paraná!, denunciou o senador, via Twitter, apontando Arns como o chefe da farra.

Em 2010, houve uma faxina da SUDE (Superintendência de Desenvolvimento Educacional) também por causa de farra com diárias. O Ministério Público ainda investiga furo de R$ 3 milhões. A antiga Fundepar funcionava como braço da SEED na área de infraestrutura educacional.

O dinheiro que falta para a Educação

Se por um lado tem farra com diárias, onde milhões são torrados em viagens desnecessárias até, do outro falta dinheiro para o cumprimento da Lei Nacional do Piso do Magistério. Em questão está a implantação de 33% da hora-atividade acordada entre APP-Sindicato, governador Beto Richa (PSDB) e o vice Flávio Arns para valer a partir de janeiro de 2014.

“A implantação das progressões dos professores que deveria ter sido paga no último mês, o pagamento dos atrasados que já somam mais de R$ 50 milhões, e a implantação de mais uma hora-atividade, a fim de atingir a reserva dos 33% da jornada”, diz o sindicato, sinalizando que há mais um calote dos tucanos em cima dos educadores.

Comments are closed.