Por Esmael Morais

Movimento Negro realiza protesto inédito contra Tribunal de Justiça do Paraná

Publicado em 12/11/2013

Dirigentes de entidades do Movimento Negro realizaram protesto inédito nesta terça, em Curitiba, em frente ao Tribunal de Justiça do Paraná; lideranças exigem que corte volte atrás e reveja suspensão do feriado da Consciência Negra no dia 20 de novembro; vereador Paulo Salamuni , presidente da Câmara Municipal, que sancionou a lei, disse que levará na quinta (14) a questão ao Superior Tribunal Federal. (Fotos: Mesael Caetano dos Santos, o "Advogado dos Pobres").

Dirigentes de entidades do Movimento Negro realizaram protesto inédito nesta terça, em Curitiba, em frente ao Tribunal de Justiça do Paraná; lideranças exigem que corte volte atrás e reveja suspensão do feriado da Consciência Negra no dia 20 de novembro; vereador Paulo Salamuni , presidente da Câmara Municipal, que sancionou a lei, disse que levará na quinta (14) a questão ao Superior Tribunal Federal. (Fotos: Mesael Caetano dos Santos, o “Advogado dos Pobres”).

Cerca de 100 ativistas do Movimento Negro fizeram uma manifestação neste terça (12), em Curitiba, em frente ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), contra liminar concedida pelo à“rgão Especial daquela corte suspendendo o feriado da Consciência Negra que era previsto para o próximo dia 20 de novembro.

O protesto é inédito porque nunca antes as decisões dos desembargadores do TJPR foram alvo de questionamento público.

Integrantes das entidades que organizaram a manifestação de hoje afirmam que a decisão contra o feriado de Zumbi dos Palmares foi tomada porque o tribunal é formado por brancos.

No último dia 4 de novembro, a pedido da Associação Comercial do Paraná (ACP) e do Sinduscon, o TJPR defenestrou a data comemorativa dos negros acatando argumento que traria prejuízo de R$ 160 milhões ao comércio da capital paranaense.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Paulo Salamuni (PV), que sancionou a lei, disse que levará na quinta (14) a questão do feriado da Consciência Negra ao Superior Tribunal Federal (STF).