Governo Richa rebate críticas sobre segurança na coluna de André Vargas

Governo Beto Richa, por meio da Secretaria da Segurança Pública, rebate críticas do colunista André Vargas; ressaltando o espírito democrático e privilegiando o contraditório, este blogueiro concede direito de resposta à  pasta comandada pelo secretário Cid Vasques; leia a íntegra do texto.

Governo Beto Richa, por meio da Secretaria da Segurança Pública, rebate críticas do colunista André Vargas; ressaltando o espírito democrático e privilegiando o contraditório, este blogueiro concede direito de resposta à  pasta comandada pelo secretário Cid Vasques; leia a íntegra do texto.

O governo Beto Richa (PSDB) endereçou um pedido de direito de resposta em cima da coluna de André Vargas, vice-presidente da Câmara, publicada hoje neste blog sob o título Aumenta violência em Curitiba, mas governo Richa manipula índices na mídia! (clique aqui para ler a íntegra). A pasta da segurança rebate todos os dados levantados pelo colunista.

Ressaltando espírito democrático e privilegiando o contraditório, este blogueiro concede direito de resposta à  Secretaria de Segurança Pública do Governo do Paraná. Leia a íntegra do texto:

Diante de informações equivocadas do deputado federal André Vargas (PT) em artigo publicado neste Blog, a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública esclarece que:

– Nas últimas três semanas, diferente do que afirmou o deputado André Vargas, aconteceram 30 homicídios em Curitiba, não “mais de 70”.

– Nunca houve negativa em fornecer informações relativas a homicídios dolosos. Da mesma forma como a divulgação nunca foi apenas referente aos finais de semana. Os relatórios trazem informações sobre os sete dias da semana.

– O Paraná apresenta redução de 17,45% nos homicídios dolosos (1.907 ocorrências neste ano e 2.310 no ano passado).

– A queda também foi verificada em diversas regiões do Estado, como Curitiba (-21%); Região Metropolitana de Curitiba (-19,73%); São Mateus do Sul (-45%); Francisco Beltrão (-21,62%); Cascavel (-29%); Foz do Iguaçu (-22%); Toledo (-43,6%); Campo Mourão (-32,2%); Maringá (-17%); Londrina (-43,6%); Rolândia (-18%) e Telêmaco Borba (-19%).

– Hoje, 43 comarcas do Paraná não contam com delegado de polícia. A informação de “mais de 100”, do artigo, é totalmente incorreta. Por constatar a falta de delegados, o governo Beto Richa está realizando concurso público para preenchimento de vagas, assim como foi feito para PM e bombeiros.

– A Denarc tem núcleos por todo o Paraná. Todos com delegados responsáveis. Curitiba, RMC, Foz do Iguaçu, Londrina, Cascavel, Ponta Grossa, Maringá e Pato Branco. Todos batendo recordes de apreensão de drogas.

– A reestruturação da Polícia Científica está acontecendo após ter ficado esquecida por sucessivos governos estaduais. Foram modernizados os dois Institutos, com aquisição de equipamentos com alta tecnologia.

– No início de 2011, entraram em funcionamento as novas unidades do IML de Toledo, Paranavaí e União da Vitória. As unidades do IML de Maringá, Paranaguá e Curitiba estão em obras. A nova sede para o IML Londrina está em fase de licitação.

– Londrina, Curitiba e Maringá também receberão novas sedes da Criminalística (fase licitatória de projetos). A Polícia Científica recebeu reforço de 56 novas viaturas e, até o fim do ano, estará em funcionamento o primeiro Banco de Dados de Perfil Genético de Criminosos do País.

– A recomposição do efetivo – que no início deste governo era um dos menores do país – é prioridade da atual gestão. Foram incorporados 3.127 novos policiais (entre civis, militares e bombeiros), no primeiro semestre de 2012, e feito concurso público para contratar mais 4.445 PMs e 819 bombeiros (dos quais 2.223 PMs e 210 bombeiros já iniciaram o curso de formação, neste mês de novembro).

– O Paraná conta com um plano específico de segurança pública para a região de fronteira. Com sede em Marechal Cândido Rondon, o Batalhão de Polícia da Fronteira (BPFron) foi criado em julho de 2012 e tem ações focadas em crimes de fronteira, como contrabando, tráfico de drogas e de pessoas.

– Esse investimento na área de fronteira ocorre justamente pelo fato de o governo federal não conseguir dar conta, sozinho, do policiamento de fronteira.

– Todos esses dados são oficiais da Secretaria da Segurança Pública. Eles são utilizados pelo governo federal no Anuário Brasileiro de Segurança Pública!. O governo federal classifica o Paraná como tendo alta qualidade na compilação dos dados!, constatação que está no Anuário Brasileiro da Segurança Pública.

Comentários encerrados.