Educadores experimentam “cafezinho” de Fruet e gostam; greve suspensa

Publicado em 28 novembro, 2013
Compartilhe agora!

Sismuc copia APP-Sindicato e adota a "política do cafezinho" com o prefeito Gustavo Fruet, que recebeu um voto de confiança! da categoria; greve foi suspensa depois da intervenção da vice, Mirian Gonçalves, e do vereador Pedro Paulo, ambos do PT; "cafezinho" foi servido aos educadores curitibanos pela ex-superintendente da SEED, Meroujy Cavet, parceira de Eleonora Fruet.
Sismuc copia APP-Sindicato e adota a “política do cafezinho” com o prefeito Gustavo Fruet, que recebeu um voto de confiança! da categoria; greve foi suspensa depois da intervenção da vice, Mirian Gonçalves, e do vereador Pedro Paulo, ambos do PT; “cafezinho” foi servido aos educadores curitibanos pela ex-superintendente da SEED, Meroujy Cavet, parceira de Eleonora Fruet.
Não é só a APP-Sindicato que gosta da “política do cafezinho” adotada pelos tucanos Beto Richa e Flávio Arns, dublê de vice e secretário de Estado da Educação do Paraná.

O Sismuc (Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba) provou — e gostou — do “cafezinho” do prefeito Gustavo Fruet (PDT). Prova disso é que a greve dos educadores foi suspensa na tarde de ontem (28).

Depois do saboroso cafezinho, a categoria afirmou que resolveu dar um voto de confiança ao prefeito Gustavo Fruet!.

Os entendimentos entre grevistas e prefeitura de Curitiba foram intermediados pela vice Mirian Gonçalves e pelo vereador Pedro Paulo, ambos do PT.

“Os sindicalistas já haviam sido recebidos pelo prefeito Gustavo Fruet. O diálogo transparente e responsável sempre foi a postura desta administração”, justificou Mirian, sobre a ausência de Fruet na mesa de negociação de ontem.

A estimulante bebida foi servida pela ex-superintendente da SEED, Meroujy Cavet, secretária Municipal de RH, parceira de longa data de Eleonora Fruet, irmã do atual prefeito e ex-secretária da Municipal da Educação na gestão do então prefeito Beto Richa (PSDB).

Veja os pontos acordados que suspenderam a greve:

– Redução da jornada: No dia 19 de dezembro o Sismuc poderá apresentar uma proposta para redução da jornada para 30 horas semanais em uma reunião já marcada com os gestores. Na reunião de hoje a Prefeitura disponibilizou dados para que o estudo seja realizado.

– Dias parados: Não haverá desconto dos dias parados, de acordo com compromisso da administração.

– Assédio moral: No dia 3 de dezembro uma reunião com representantes dos cmei”s no Sismuc verificará em quais locais de trabalho houve retaliação de diretores contra servidores que participaram da greve. O compromisso da gestão é abrir um processo administrativo contra aqueles que realizaram qualquer tipo de assédio.

– Eleição de diretores de cmei”s: comissão paritária formada por servidores e gestores (4 de cada) se reúne a partir de fevereiro para verificar a implementação das eleições diretas para diretor.

– Hora-atividade: a partir de abril, após a convocação de novos educadores concursados, a gestão se comprometeu a garantir os 33% de hora-atividade gradativamente para todos os educadores.

– Aposentadoria especial de 25 anos: está em estudo pelo IPMC e deve ser encaminhado ao Tribunal de Contas para análise.

Com informações da Rádio Banda B.

Compartilhe agora!

Comments are closed.