“Dívida ou calote não perde voto”, analisa Palácio Iguaçu

Compartilhe agora!

Amparado em pesquisas, governo Beto Richa vai começar fase do nem aí! com protestos de categorias de servidores que denunciam calote; professores e funcionários de escolas reclamam R$ 74 milhões atrasados; Palácio Iguaçu analisa que dívida e calote! em fornecedores não perdem voto; Seria crítico se tivesse corrupção, mas não tem isso no governo!, juram; durante últimas semanas, este blog mostrou viaturas da Polícia Militar sem combustível ou paradas em oficinas por falta de pagamento; falta de dinheiro para custas judiciais na SEED; obras de infraestrutura paralisadas; enfim, o caos administrativo.
Amparado em pesquisas, governo Beto Richa vai começar fase do nem aí! com protestos de categorias de servidores que denunciam calote; professores e funcionários de escolas reclamam R$ 74 milhões atrasados; Palácio Iguaçu analisa que dívida e calote! em fornecedores não perdem voto; Seria crítico se tivesse corrupção, mas não tem isso no governo!, juram; durante últimas semanas, este blog mostrou viaturas da Polícia Militar sem combustível ou paradas em oficinas por falta de pagamento; falta de dinheiro para custas judiciais na SEED; obras de infraestrutura paralisadas; enfim, o caos administrativo.
Estrategistas do governador Beto Richa (PSDB) mandam emissário informar ao blog que, à  luz de pesquisas, chegaram à  conclusão de que “dívida ou calote não perde voto” entre os paranaenses. Eles dizem que a quantidade de pessoas inadimplentes no dia a dia absolve o tucano. “O cidadão comum sabe o que é não ter dinheiro no bolso”, comparam.

O comentário foi suscitado pela postagem cravada ontem aqui sobre sondagem da Souza Lopes em Curitiba para o Palácio Iguaçu. De acordo com o instituto, Richa tem 35%, Gleisi 21% e Requião 15% (clique aqui para relembrar).

O comentário dos palacianos tem a ver com as dificuldades financeiras de o governo Richa honrar com os compromissos salariais assumidos com categorias de servidores e com a falta de recursos para o custeio da máquina pública.

Durante as últimas semanas, este blog mostrou viaturas da Polícia Militar sem combustível ou paradas em oficinas por falta de pagamento; obras de infraestrutura paralisadas (clique aqui para relembrar); falta de dinheiro para custas judiciais na SEED; enfim, o caos administrativo.

Ontem (25), o senador Roberto Requião (PMDB) denunciou Richa por calote de R$ 74 milhões nos educadores do Paraná (clique aqui).

Na sua opinião, os estrategistas tucanos têm razão? Inadimplência e dívida (calote) não interferem no humor dos eleitores? Opine.

Compartilhe agora!

Comments are closed.