Richa anuncia extinção de cargos comissionados de chefia nas regionais da Saúde e Educação

Governo Richa anuncia extinção de 2 mil cargos comissionados, mas, em contrapartida, cria outras duas mil funções gratificadas; deputado Traiano diz que medida representará economia de R$ 48 mi; líder do PT, Tadeu Veneri, afirma que em dez meses, nomeações superam exonerações em R$ 14,7 mi; será que o governo tucano trocou seis por meia dúzia?

Governo Richa anuncia extinção de 2 mil cargos comissionados, mas, em contrapartida, cria outras duas mil funções gratificadas; deputado Traiano diz que medida representará economia de R$ 48 mi; líder do PT, Tadeu Veneri, afirma que em dez meses, nomeações superam exonerações em R$ 14,7 mi; será que o governo tucano trocou seis por meia dúzia?

O governo de Beto Richa (PSDB) distribuiu na noite desta segunda (14) lista com cerca de 2 mil cargos em comissão que serão extintos no Paraná. Ao todo, segundo o Portal da Transparência, são cerca 4,5 mil servidores de livre nomeação (sem concurso público).

Dentre as simbologias extintas estão os de DAS-5 destinadas para as 25 chefias dos Núcleos Regionais da Secretaria de Estado da Educação (SEED) e a Secretaria de Estado da Saúde (SESA) também perderá 28 cargos DAS-4 e 15 de simbologia DAS-5.

Além desses cargos maiores, o governo pretende acabar com outros cargos menores nas duas pastas. O Colégio Estadual do Paraná (CEP) e hospitais regionais, por exemplo, terão chefias e assessorias defenestradas.

Os cortes de comissionados, de acordo com a tabela divulgada por Richa (clique aqui para ler a íntegra da tabela), atingirão as demais secretarias como Trabalho, Infraestrutura, Previdência, etc.

O blog perguntou ao líder do governo na Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), se a extinção dos cargos significaria a extinção das funções. O tucano explicou que no lugar dos cargos comissionados serão criadas as “funções gratificadas” que serão destinadas somente aos funcionários do quadro próprio.

Na prática, o governo Richa vai trocar seis por meia dúzia. Serão cortados 2 mil cargos em comissão, mas se criará outras 2 mil gratificações. Traiano discorda. Ele garante que esse expediente representará economia de R$ 48 milhões ao erário.

O deputado Tadeu Veneri (PT), líder da bancada do PT, apresentou uma conta diferente do governo. Segundo ele, entre janeiro e o início de outubro deste ano, o governo do estado economizou R$ 21,7 milhões em exonerações de servidores comissionados, mas no mesmo período, contabilizou R$ 36, 4 milhões em nomeações.

“O saldo negativo é de R$ R$ 14, 7 milhões nos primeiros dez meses do ano”, assegura o petista.

Pelo sim pelo não, é tenso o clima em todas as secretarias porque nessa troca de cargos por gratificações poderá haver um pente-fino. Muitos poderão ser abandonados na estrada por “insuficiência política”.

Comentários encerrados.