Gleisi Hoffmann importa médicos cubanos para o Paraná

Compartilhe agora!

Gleisi Hoffmann cola sua imagem a dois programas de sucesso no governo federal: "Mais Médicos" e "Minha Casa, Minha Vida"; neste sábado (26), ministra lançou forte ofensiva política de olho no Palácio Iguaçu; em Castro, pela manhã, assinou ordem de serviço para construir 700 casas populares e prometeu outras 20 mil à  região; à  tarde, na região metropolitana de Curitiba, recebeu a primeira leva de médicos importados de Cuba; petista também prometeu zerar a demanda de médicos no Paraná.
Gleisi Hoffmann cola sua imagem a dois programas de sucesso no governo federal: “Mais Médicos” e “Minha Casa, Minha Vida”; neste sábado (26), ministra lançou forte ofensiva política de olho no Palácio Iguaçu; em Castro, pela manhã, assinou ordem de serviço para construir 700 casas populares e prometeu outras 20 mil à  região; à  tarde, na região metropolitana de Curitiba, recebeu a primeira leva de médicos importados de Cuba; petista também prometeu zerar a demanda de médicos no Paraná.
A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), parece que retomou a iniciativa política, neste final de semana, com vistas à s eleições de 2014.

Sem dizer claramente que está em campanha pelo Palácio Iguaçu, a petista assinou ordem de serviço ontem para construir 700 casas populares em Castro e prometeu outras 20 mil moradias à  região dos Campos Gerais.

Ainda na tarde de sábado, Gleisi foi ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, para receber a primeira leva de médicos importados pelo programa “Mais Médicos”.

Segundo o Ministério da Saúde, 76 estrangeiros chegam ontem a Curitiba. A maioria veio de Cuba, país socialista encravado no Caribe e nos calcanhares dos Estados Unidos.

De acordo com a chefe da Casa Civil, o Programa Mais Médicos! registrou 208 municípios do Paraná inscritos até semana passada. O número representa 47% das cidades do estado. Do total, 27 municípios estão situados em regiões paranaenses de maior vulnerabilidade social.

Em todo o País, devem desembarcar, até terça-feira (29), 2.167 médicos, que se juntam aos 1.499 que já estão atuando em regiões carentes do país, sendo 819 brasileiros e 680 estrangeiros, elevando a cobertura do programa de 5 milhões para 13 milhões de brasileiros. Nos municípios paranaenses, já são 58 médicos trabalhando, com cobertura a 200.100 pessoas no estado.

Compartilhe agora!

Comments are closed.