Fruet convoca comitê anticrise para discutir ocupação da Câmara

Gustavo Fruet teme que movimento se alastre pela cidade e ganhe apoio da opinião pública; reedição dos protestos de junho, que sacudiram o país, assusta o prefeito curitibano; Frente de Luta pelo Transporte reivindica redução da tarifa de ônibus aos domingos para R$ 1 e nos dias de semana a redução para R$ 2,25; ocupação da Câmara também é para pressionar pela revogação da licitação que escolheu as atuais empresas que operam as linhas de ônibus e a criação da frota pública na capital paranaense.

Gustavo Fruet teme que movimento se alastre pela cidade e ganhe apoio da opinião pública; reedição dos protestos de junho, que sacudiram o país, assusta o prefeito curitibano; Frente de Luta pelo Transporte reivindica redução da tarifa de ônibus aos domingos para R$ 1 e nos dias de semana a redução para R$ 2,25; ocupação da Câmara também é para pressionar pela revogação da licitação que escolheu as atuais empresas que operam as linhas de ônibus e a criação da frota pública na capital paranaense.

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), principal alvo dos manifestantes que ocupam a Câmara Municipal de Vereadores desde o início desta noite, convocou uma reunião de emergência com o comitê anticrise. A reunião deverá avançar a madrugada, segundo um orelha seca presente no Palácio 29 de Março (sede do executivo municipal).

Além de assessores mais próximos e o presidente do legislativo, Paulo Salamuni (PV), o prefeito também chamou para a conversa emergencial o vereador Pedro Paulo (PT) por causa da “intimidade” com os movimentos sociais.

Integrantes da Frente de Luta pelo Transporte estão irados com Fruet que vem tendo posição conservadora em relação à  atuação da CPI que investiga as empresas e à  reivindicação de redução da tarifa de ônibus aos domingos para R$ 1 e nos dias de semana a redução para R$ 2,25.

O protesto também exige a anulação da licitação que escolheu as atuais empresas que operam as linhas de ônibus e a criação da frota pública na capital paranaense.

Comentários encerrados.