Em Foz, congresso de trabalhadores defende maior protagonismo na política em 2014

Denilson Pestana, presidente da NCST, vê precarização do trabalho se projeto que regulamenta terceirizações for aprovado pelo Congresso Nacional; trabalhadores reunidos em Foz do Iguaçu, de hoje até amanhã, querem maior protagonismo da classe trabalhadora na política em 2014; entidades sindicais também discutem um plano para "ocupar" as redes sociais como forma de mobilização e de luta das categorias.

Denilson Pestana, presidente da NCST, vê precarização do trabalho se projeto que regulamenta terceirizações for aprovado pelo Congresso Nacional; trabalhadores reunidos em Foz do Iguaçu, de hoje até amanhã, querem maior protagonismo da classe trabalhadora na política em 2014; entidades sindicais também discutem um plano para “ocupar” as redes sociais como forma de mobilização e de luta das categorias.

Cerca de 300 delegados de diversos sindicatos participaram nesta segunda (21), em Foz do Iguaçu, da abertura do 3!º Congresso Estadual da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), seção Paraná, onde o tema central foi estimular maior participação da classe nos rumos políticos de 2014.

O presidente da NCST, Denílson Pestana, em seu discurso, afirmou que os trabalhadores apoiam o governo de Dilma Rousseff, mas é preciso modificar a correlação de forças no Congresso Nacional. Segundo ele, o parlamento ainda é tomado por representantes do poder econômico e dos patrões.

Pestana lembrou-se do projeto tramitando no Congresso Nacional que regulamenta a terceirização no Brasil, o qual permite a contratação de trabalhadores terceirizados para execução de atividades-fim. Hoje só é permitido terceirizar as atividades-meio das empresas, ou seja, pessoal da portaria, telefonistas, dos restaurantes, da segurança.

O sindicalista denuncia que, se aprovado o projeto, mais que dobrará o número de trabalhadores terceirizados no país (de 12 para 30 milhões) com menos direitos trabalhistas.

O Congresso da NCST, que se encerrará amanhã (22), além de eleger a nova diretoria, também deverá definir uma ofensiva para que os sindicatos se apropriem das redes sociais em suas atividades nas categorias.

Na tarde de hoje, este blogueiro vai debater com os congressistas trabalhadores “O Papel das Mídias Alternativas nas Mobilizações Sociais”.

Comentários encerrados.