Dilma sobre privatização do pré-sal: “esqueçam o que falei”; assista ao vídeo

Dilma adota agenda neoliberal de FHC ao privatizar o pré-sal do Campo de Libra, na Bacia de Santos; na campanha de 2010, a petista jurava que não abriria mão das reservas de petróleo e afirmava que seria "um crime contra o Brasil"; começa pipocar protestos em todo o país pedindo o cancelamento do leilão previsto para dia 21; Requião promete entrar na Justiça; assista ao vídeo de quando Dilma era contra a privatização do pré-sal.
Dilma adota agenda neoliberal de FHC ao privatizar o pré-sal do Campo de Libra, na Bacia de Santos; na campanha de 2010, a petista jurava que não abriria mão das reservas de petróleo e afirmava que seria “um crime contra o Brasil”; começa pipocar protestos em todo o país pedindo o cancelamento do leilão previsto para dia 21; Requião promete entrar na Justiça; assista ao vídeo de quando Dilma era contra a privatização do pré-sal.
“Esqueçam o que escrevi”, disse o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) antes de chegar à  Presidência da República em 1994. Mais tarde o tucano negou que dissera a frase.

Vinte anos depois, a presidenta Dilma Rousseff (PT) segue a mesma pegada ao tucanar o tucano: “esqueçam o que falei”. Talvez no futuro também venha negar a frase.

Na campanha eleitoral de 2010, Dilma foi à  tevê (veja o vídeo) prometer que não privatizaria o pré-sal da Petrobras. Mais: disse que seria um crime vender as riquezas naturais brasileiras.

Veja o vídeo:

“Desde já eu afirmo a minha posição: é crime tentar privatizar a Petrobras e ou pré-sal. Fala isso porque há poucos dias o principal assessor do candidato Serra para a área de energia e ex-presidente da Agência Nacional do Petróleo, durante o governo FHC, defendeu a privatização do pré-sal. Isso seria um crime contra o Brasil porque o pré-sal é nosso grande passaporte para o futuro…”, diz um trecho do vídeo gravado há três anos na campanha eleitoral.

Pois bem, Dilma esqueceu o que falou. No próximo dia 21 de outubro a presidenta vai leiloar as reservas de pré-sal do Campo de Libra, na Bacia de Santos. Estima-se que há 12 bilhões de barris de petróleo no local. A petista vai cometer o crime que dizia combater, portanto.

Nem todo mundo deixará barato essa contradição entre o discurso e a prática de Dilma. Nesta segunda (14), à s 9h30, no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná, haverá uma audiência pública contra a privatização do Campo de Libra.

O protesto no parlamento paranaense é convocado pelos deputados Tadeu Veneri (PT) e Gilberto Martin (PMDB), fiel aliado do senador Roberto Requião. O Partido da Pátria Livre (PPL) também coordena o esforça contra a agenda neoliberal do governo federal.

Falando em Requião, o senador promete ingressar na Justiça contra o leilão do pré-sal. Na semana passada, ele e o ex-diretor da Petrobras, Ildo Sauer, resgataram o “antigo” discurso de Dilma: “privatizar o pré-sal é um crime contra o Brasil” (clique aqui para relembrar).

Comments are closed.