Shopping Pátio Batel faz festa privada com dinheiro público em Curitiba

Publicado em 10 setembro, 2013
Compartilhe agora!

O governo federal pagou parte da festa de inauguração do Pátio Batel, ao emprestar R$ 100 milhões do BNDES para o empreendimento do empresário Salomão Soifer, mas não convidaram ninguém do PT!, como registrou o vice-presidente da Câmara, deputado André Vargas; evento privado pago com dinheiro público teria custado R$ 1,5 milhão com direito a show da cantora Marisa Monte; tucanos Beto Richa e Valdir Rossoni, além do pai político! de ambos, Jaime Lerner, estiveram presentes à  festa na Avenida Batel; nesta terça, ao meio dia, o andar de baixo, que pagou o festerê dos grã-finos e burgueses falidos, será recebido no shopping, mas sem os mimos da noite de ontem.
O governo federal pagou parte da festa de inauguração do Pátio Batel, ao emprestar R$ 100 milhões do BNDES para o empreendimento do empresário Salomão Soifer, mas não convidaram ninguém do PT!, como registrou o vice-presidente da Câmara, deputado André Vargas; evento privado pago com dinheiro público teria custado R$ 1,5 milhão com direito a show da cantora Marisa Monte; tucanos Beto Richa e Valdir Rossoni, além do pai político! de ambos, Jaime Lerner, estiveram presentes à  festa na Avenida Batel; nesta terça, ao meio dia, o andar de baixo, que pagou o festerê dos grã-finos e burgueses falidos, será recebido no shopping, mas sem os mimos da noite de ontem.
Uma festa para poucos convidados com direito à  “Macarena” movimentou ontem à  noite o luxuoso bairro Batel, em Curitiba, durante a inauguração do Shopping Pátio Batel, na badalada Avenida Batel. No evento, estiveram o governador Beto Richa e o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Valdir Rossoni, ambos do PSDB. Também compareceu ao festerê o ex-governador Jaime Lerner (DEM). O prefeito Gustavo Fruet (PDT) não deu o ar da graça, mas mandou representante.

Nada demais um empreendimento privado realizar festa privada, se não fosse um detalhe importantíssimo: parte do dinheiro usado para a obra — a bagatela de R$ 100 milhões — saiu dos cofres do BNDES, portanto, verba pública. O andar de baixo pagou a festa de arromba para os grã-finos curitibanos. A brincadeira VIP custou R$ 1,5 milhão, segundo uma fonte deste blog, com direito a show da cantora Marisa Monte.

Quem ficou chateado com a predominância dos tucanos e da burguesia falida na festa realizada com dinheiro público foi o deputado federal André Vargas, vice-presidente da Câmara: “Não convidaram ninguém do PT”, lamentou pelas redes sociais.

Orelha seca do blog, presente ao evento, fez a seguinte observação: se os convidados fossem submetidos à  checagem do Seproc a festa ficaria esvaziada!. Pode ser exagero, mas deve ter um fundo de verdade porque se fosse o contrário a burguesia falida teria desembolsado pelo convite.

Hoje, a partir do meio dia, sem show de Marisa Monte, as portas se abrirão para o andar de baixo que pagou a conta de ontem à  noite.

Relembre Los del Rio – Macarena (assista ao vídeo):

Leia também:
Especialista em trânsito vê inteligência pura! no entorno do shopping Pátio Batel

Compartilhe agora!

Comments are closed.