Sciarra emplaca aliado em conselho de investimento federal que gere R$ 25 bi

Desprezado pelo governo Richa, PSD emplaca dirigente no conselho do FI-FGTS, do governo federal, que gere R$ 25 bilhões; Paulo Rossi, presidente da UGT, braço político do partido de Sciarra e Leprevost no movimento sindical, foi nomeado como conselheiro efetivo com apoio da CUT e do PT, da ministra Gleisi Hoffmann; semana passada, os kassabistas perderam a Secretaria de Turismo, que foi extinta na reforma do tucano.

Desprezado pelo governo Richa, PSD emplaca dirigente no conselho do FI-FGTS, do governo federal, que gere R$ 25 bilhões; Paulo Rossi, presidente da UGT, braço político do partido de Sciarra e Leprevost no movimento sindical, foi nomeado como conselheiro efetivo com apoio da CUT e do PT, da ministra Gleisi Hoffmann; semana passada, os kassabistas perderam a Secretaria de Turismo, que foi extinta na reforma do tucano.

O deputado federal Eduardo Sciarra, líder do PSD na Câmara e presidente estadual da sigla no Paraná, conseguiu emplacar o sindicalista aliado Paulo Rossi, presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), como conselheiro efetivo do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS).

O FI-FGTS é composto por 12 membros, sendo 6 da sociedade civil e 6 membros indicados pelo governo federal.

Rossi vai dar parecer sobre todos os programas de investimento do país que passam pela instituição, envolvendo vários programas do setor público, como construção civil, saneamento, energia elétrica, etc. O FI-FGTS tem orçamento de R$ 25 bilhões.

Embora a UGT seja um braço político do PSD no movimento sindical, as demais centrais, como a CUT, apoiou a indicação de Rossi. A CUT é comandada pelos petistas, que torcem pela presidenta Dilma e Gleisi Hoffmann.

No final de semana, o PSD perdeu espaço no governo Beto Richa (PSDB) com a extinção de secretarias e mil cargos comissionados. O partido viu a pasta do Turismo ser defenestrada para virar apenas um departamento.

Por outro lado, o partido de Gilberto Kassab, Ney Leprevost e Sciarra vem recebendo muitos afagos de Gleisi. A indicação de Rossi para o conselho que vai gerir R$ 25 bilhões é sinal de prestígio cada vez maior no governo federal.

Comentários encerrados.