Por Esmael Morais

Professores hostilizam Richa no interior do Paraná

Publicado em 19/09/2013

Professores fazem cerco! a Beto Richa no interior do Paraná; ontem houve protesto na recepção ao tucano em Apucarana; nesta quinta teve em Cambará, Norte Pioneiro; educadores cobram pagamento de R$ 50 milhões atrasados, cujo acordo era depositar no último dia 13; professores e funcionários de 2,1 mil escolas da rede pública estadual planejam greve a partir de 28 de setembro.

Professores fazem cerco! a Beto Richa no interior do Paraná; ontem houve protesto na recepção ao tucano em Apucarana; nesta quinta teve em Cambará, Norte Pioneiro; educadores cobram pagamento de R$ 50 milhões atrasados, cujo acordo era depositar no último dia 13; professores e funcionários de 2,1 mil escolas da rede pública estadual planejam greve a partir de 28 de setembro.

“Governador, não aceitamos calote”. Essa era a faixa que foi exibida ontem (18) por professores e funcionários de escolas públicas durante recepção a Beto Richa (PSDB) em Apucarana, Norte do Paraná. O município saiu na frente dos protestos contra o tucano, que continuaram nesta quinta (19).

Em Cambará, Norte Pioneiro, também houve manifestação dos educadores contra o governador do PSDB. O blog ainda não recebeu informações sobre a recepção a Richa.

Na última sexta (13), em primeira mão, este blogueiro informou que Richa e seu vice Flávio Arns (PSDB), secretário da Educação, tinham dado calote de R$ 50 milhões no magistério paranaense. A promessa, feita dia 30 de agosto, era de pagamento dos atrasados naquele dia. Ficou na promessa.

O total do calote tucano é resultado do levantamento feito pela APP-Sindicato, junto à  Secretaria de Estado da Educação (Seed), e abrange débitos relativos a promoções, progressões, diferença do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), novo enquadramento do Quadro de Funcionários da Educação Básica (QFEB).